O Cultura Pará criou a Agenda da Semana com o objetivo de publicar neste espaço as manifestações artísticas de nossa região seguindo a mesma linha de trabalho proposta pelo site. Festas, eventos em bares e outras locações em que a arte não seja objeto prioritário, não serão contemplados. Os interessados deverão enviar a programação, acompanhada de release e uma imagem representativa, até segunda-feira (às 19h) de cada semana. Esta agenda tem o apoio da Sol Informática.

DESTAQUE •
DESTAQUE DESTAQUE

— ROSA & GRÃO | SIMONE GUIMARÃES e SALOMÃO HABIB —

Santa ROSA do Viterbo é uma pequena cidade paulista onde nasceu uma das mais privilegiadas vozes brasileiras: Simone Guimarães. Compositora, arranjadora, intérprete e poeta, Simone tem em sua musicalidade, a natureza dos rios, das águas e dos campos verdes onde o perfume natural das coisas sopra em canções de amores, dores e flores.

Em 2004 a cantora parte para Paris, e representa o Brasil no MIDEM em “Cannes”, e “Marseille”. Sua obra começa a tocar nas cidades do Sul da França o “Nice Matin” a coloca como uma novidade europeia vindo do Brasil. Na rádio Oriente em Lisboa Simone fica em destaque na programação, chegando a ser a mais tocada. Em quanto isso em seu apartamento no Leblon, nos prepara uma flor.

FLOR DE PÃO ganhou três indicações para a 8ª edição do Grammy Latino, e a música “Carta à Amiga Poeta”, de sua autoria em parceria com Francis Hime, foi uma das cinco finalistas ao Grammy e na categoria Simone recebeu o Grammy “Melhor Canção Brasileira em Língua Portuguesa".

Tendo realizado shows no Brasil e no exterior ao lado de artistas consagrados como Milton Nascimento, Maria Betânia, Flavio Venturini, Francis Hime, Paulo Jobim, Maria Rita, João Bosco entre outros, Simone aporta sua musicalidade na região norte do Brasil subindo ao palco com o violonista e compositor paraense Salomão Habib. Nascido em Santa Maria de Belém do GRÃO Pará, antigo nome da atual Belém, é um dos nomes de destaque do violão brasileiro, premiado e admirado por um seleto público dentro e fora do País, tem contribuído com a pesquisa e o levantamento histórico musical de sua região e seus 29 discos e dois livros lançados com sucesso de crítica. Já realizou turnês por todas as capitais brasileiras bem como em países como Alemanha, onde já esteve 6 vezes, Suíça, Bélgica, Cuba, Venezuela, Itália, Portugal.

O espetáculo apresentado ao som de violão Hexacorde, Decacorde, Viola Caipira, Marimba (Ricardo Aquino), Piano (Lenilson Albuquerque), Contrabaixo (Príamo Brandão), Sanfona (Everaldo Jr) e Percussão (Alcides Alexandre) contará com canções inéditas do repertório dos dois compositores num encontro inesquecível onde a sensibilidade une-se à força e a densidade à delicadeza. Simone Guimarães e Salomão Habib em "ROSA & GRÃO” trará ainda as participações especiais de Eudes Fraga e Andrea Pinheiro.

Será um evento inesquecível repleto de musicalidade brasileira. Técnica instrumental e arranjos especiais para canções consagradas, brindarão o público com bom gosto e qualidade musical destes dois grandes talentos.

— • –

WORKSHOP de CANTO e VIOLÃO

Simone Guimarães fará também um workshop de Canto e Violão, no Teatro Waldemar Henrique, nos dias 24 e 25/04, no horário de 9h as 12h, com incrições no local no valor de R$ 50 (cinquenta reais).


Theatro da Paz
Praça da República
Rua da Paz, s/n
Dia 22 de abril (quarta-feira), às 20h
Ingressos no local.

— ORQUESTRA CHORO DO PARÁ | CONCERTO —

Choro do Pará encerra oficinas de musicas com homenagens a Pixinguinha

O projeto Choro do Pará, realizado pela Fundação Cultural do Pará (FCP), encerra as oficinas de música neste sábado, 18 de abril, com uma homenagem ao nascimento do instrumentista e compositor Pixinguinha. O concerto da Orquestra Choro do Pará será apresentado no Teatro Waldemar Henrique no dia 23 de abril, instituído nacionalmente como Dia do Choro, às 20h, com entrada franca.

Diego Santos, instrutor e regente da Orquestra Choro do Pará, coordena os cursos de violão das oficinas de músicas que tem como repertório o Choro. “As oficinas foram muito produtivas e atraíram o interesse de muitos alunos. É gratificante ver o resultado das aulas com a introdução da linguagem do Choro no repertório musical desse jovens”, afirma o regente.

Juliana Silva, 19 anos, aprendeu a tocar cavaquinho nas oficinas de música desde 2006. “É muito satisfatório poder receber um pouco do conhecimento dos músicos mais experientes. Aprendi com o Choro que trocar ideias, assim como tocar um instrumento, é adquirir mais capital cultural”, conta Juliana.

O concerto do dia 23 faz uma homenagem ao nascimento de Pixinguinha, grande representante da música popular. Os músicos apresentarão um repertório composto por canções de Ary Barroso, como 'Aquarela do Brasil'; Carlos Lyra como Influência do Jazz; e Lamentos de Pixinguinha, entre outras.

As oficinas de música foram realizadas nos meses de março e abril, na Casa das Artes (antigo IAP), voltadas para cavaquinho, violão e percussão, instrumentos solo que estudam o gênero musical. O objetivo do curso é dar aos alunos uma base teórica e também prática, por meio de exercícios que orientam quanto à formação de cadência, harmonização e a adaptação de ritmos diferentes à moda do chorinho.


Agência Pará de Notícias
Andreza Gomes
Fundação Cultural do Pará

Teatro Waldemar Henrique
Avenida Presidente Vargas, 645 - Campina
(Praça da República, Belém-PA)
Dia 23 de abril de 2015, às 20 h
Tels: 91 3110 8650 | 3110 8652
E-mail: twh@fcptn.pa.gov.br

• Entrada Franca •


— PINHOLE DAY BELÉM 2015 | 14ª JORNADA FOTOGRÁFICA —

Com o tema “Exercícios de Liberdade”, o projeto Pinhole Day Belém 2015 convida todos os amantes da escrita da luz, para celebrar o dia mundial da fotografia artesanal, que acontece no próximo domingo, dia 26 de abril, das 8h às 18h, no Casarão da Fotoativa, localizado na Praça das Mercês.

A jornada fotográfica, em sua 14ª edição, acontece em Belém ininterruptamente desde 2002, quando a Associação Fotoativa passou a fazer parte do calendário de comemorações concatenadas com diversas cidades do mundo inteiro.

Em 2015, de volta ao Casarão, sede da Associação, fechada para reformas desde 2012, o projeto amplia sua realização em conjunto com outros grupos da cidade. O coletivo Olhar Analógico e o Espaço Casulo Cultural integram a programação desse ano, somando forças com atividades de intervenção urbana e aproximação de novos públicos.

Segundo Yan Belém, do Coletivo Olhar Analógico, “a ideia principal é ocupar espaços no entorno da maratona, que não se configuram como galeria de arte”. O coletivo prepara um núcleo multimídia para scannear parte da produção da jornada e produzir cartazes em formato de lambe-lambe, para a intervenção urbana pelos arredores da Praça das Mercês.

A coordenadora do projeto, Cinthya Marques, afirma que “a proposta da Jornada é promover o encontro, aproximando crianças, jovens e famílias, assim como artistas, professores e fotoativistas, com o intuito de aproveitar as nuances da luz, perceber a beleza do tempo e ocupar os espaços públicos da cidade, em uma convivência permeada de criatividade”.


Casarão da Fotoativa
Praça das Mercês
Domingo, 26 de abril de 2015
Horário: de 08 às 18h
Taxa de participação: R$10


— POESIA: CORRESPONDÊNCIAS, TRANSGRESSÕES... | ANTÔNIO MOURA —

Estão abertas as inscrições para o curso de “Poesia – Correspondências, Transgressões, Transcedências”, que será ministrado pelo poeta e escritor Antonio Moura, no Centro de Experimentação e Pesquisa Artística e Cultural do Pará (antigo IAP) no mês de março.

A capacitação é voltada para escritores, professores, jornalistas e profissionais da área da literatura. "O objetivo do curso é levar os participantes a compreender a linguagem literária, sua produção e fruição como experiências subjetivas com a realidade", explica Antonio Moura.

A metodologia aplicada à capacitação prevê a aplicação de exercícios práticos e a convivência com o texto literário, estimulando a experiência criativa e possibilitando ao indivíduo entender e compreender essa produção como uma forma de conhecimento que amplia suas percepções como agente transformador da sociedade.

Durante o processo de aprendizado e troca de conhecimentos, os participantes vivenciarão a escrita e sua relação com outras linguagens - fotografia, pintura, música e cinema, entre outras.

Andreza Gomes
Fundação Cultural do Pará

Casa das Artes
(Antigo Instituto de Arte do Pará – IAP)
Praça Justo Chermont, 235 - Nazaré
(ao lado da Basílica)
De 27 a 30 de abril | Das 18h as 21h
Informações: 91 4006 2900

Inscrições Gratuitas


— VI PRÊMIO DIÁRIO CONTEMPORÂNEO DE FOTOGRAFIA —


O público poderá finalmente conhecer as obras escolhidas para essa 6ª edição do Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia. A mostra “Tempo Movimento” inaugura na quarta-feira, 22 de abril, às 19h, no Espaço Cultural Casa das 11 Janelas. Com entrada franca, a visitação seguirá até o dia 28 de junho.

Serão exibidos 30 trabalhos no total, incluindo os três premiados e as três participações especiais. A comissão de seleção desse ano foi formada pela fotógrafa e pesquisadora no campo da imagem, Lívia Aquino; a curadora, crítica e pesquisadora em artes, Marisa Mokarzel e a artista e pesquisadora em artes, Val Sampaio. Juntas, elas viram 400 inscritos, e conseguiram construir um recorte com obras que estabelecem dinâmicas de mobilidade da imagem. Propostas em fotografia, vídeo, instalações, projeções e trabalhos que misturam suportes também serão vistos na mostra.

O Prêmio Tempo Movimento é destinado a todos os artistas selecionados que apresentem trabalhos de abordagem documental, voltados ao cotidiano – região, paisagem ou comunidade – ou originados de um projeto específico de documentação. O trabalho “That Crazy Feeling In America”, uma instalação composta de doze fotos e um vídeo, do gaúcho Marco A. F. dá conta disso.

A série apresenta paisagens e situações comuns ao imaginário dos E.U.A. Imagens e textos foram extraídos de filmes hollywoodianos realizados por cineastas de diferentes nacionalidades. Assim sendo, a obra problematiza as possibilidades de reconfiguração do movimento fílmico em imagens e textos que, deslocados de seu contexto original, adquirem temporalidades e significações distintas. A partir de uma roadtrip fictícia, desencadeia-se uma leitura particular sobre a representação do imaginário norte-americano na cultura popular.

Já o Prêmio Diário Contemporâneo é destinado a todos os artistas selecionados cujo trabalho fotográfico apresente relações com outras linguagens e suportes como instalação, vídeo, objeto, performance, ou ainda proponha novas sintaxes na representação fotográfica. Nada melhor para isso do que a obra “Loess”, da paraense Marise Maués, que se constitui de uma performance, produzida em 2015 na Ilha ribeirinha de Maracapucu Miri, município de Abaetetuba, de onde ela é egressa, na qual a artista se propôs a ficar por sete horas ininterruptas no leito de um igarapé.

Marise Maués pretende representar o homem contemporâneo como um ser Loess - instável, temporário e passível de ser retomado. Assim, adentrar em um igarapé em um ato performático, passível a ação de agentes naturais possibilitou a materialização imagética de ter o corpo da artista tecido em camadas que se sobrepunham com o passar das horas, utilizando como cenário o lugar que a viu nascer, crescer e com quem até hoje ela tem laços estreitos de convivência, portanto um lugar de afeto.

Por último, o Prêmio Diário do Pará que é destinado somente a fotógrafos paraenses e/ou residentes atuantes no Pará por pelo menos três anos. Este prêmio abrange todas as poéticas e propostas conceituais. Ideal para a instalação “Horizonte Reverso”, do paraense Dirceu Maués. O artista desde 2003 desenvolve trabalho autoral nas áreas da fotografia, cinema e vídeo, os quais têm como base pesquisas com a construção de câmeras artesanais e utilização de aparelhos precários.

O trabalho premiado consiste de uma pequena parede construída a partir do empilhamento câmeras escuras que apontam para o mesmo lugar: uma pequena cadeira iluminada. A imagem da cadeira, e tudo a sua volta, é projetada sobre o papel vegetal contido no interior das caixas, revelando um mundo de ponta cabeça. Aqui a experiência da imagem perfaz um caminho de volta, em direção à imaterialidade, ao desejo que precedia a imagem fotográfica como a conhecemos – ou a conhecíamos alguns anos atrás. Invertida paisagem. Um mundo dentro de uma caixa: o mundo de ponta cabeça.

Além dos premiados, estarão presentes na exposição, as obras dos artistas selecionados nessa 6ª edição, são eles: Andrea D’Amato (SP), Carolina Krieger (SP), Daniela de Moraes (SP), Edu Monteiro (RJ), Elaine Pessoa (SP), Felipe Ferreira (RJ), Pio Figueiroa (SP), Gui Mohallem (SP), Guy Veloso (PA), Isis Gasparini (SP), José Diniz (RJ), Solon Ribeiro (CE), Júlia Milward (RJ), Karina Zen (SC), Lara Ovídio (RN), Marcelo Costa (SP), Marcílio Costa (PA), Pedro Cunha (PA), Pedro Veneroso (MG), Sergio Carvalho de Santana (CE), Tiago Coelho - Régis Duarte (RS), Tom Lisboa (PR), Tuca Vieira (SP) e Victor Saverio (RJ). Ramon Reis, Véronique Isabelle e Rafael Bandeira são as três participações especiais que também integram a mostra.

Criado em 2010, o Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é um projeto nacional que incentiva a cultura, a arte e a linguagem fotográfica em toda a sua diversidade.

SERVIÇO: Exposição do 6º Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia abre dia 22. Data: 22 de abril de 2015. Horário: 19h. Local: Espaço Cultural Casa das Onze Janelas (Praça Frei Caetano Brandão s/n - Cidade Velha). Entrada franca. Visitação até 28 de junho de 2015. O Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia é uma realização do jornal Diário do Pará, com patrocínio do Shopping Pátio Belém e Vale, apoio institucional do Espaço Cultural Casa das Onze Janelas, do Sistema Integrado de Museus/ Secult-PA, Sol Informática e Museu da Universidade Federal do Pará (MUFPA). Informações: Rua Aristides Lobo, 1055 (entre Tv. Benjamin Constant e Tv. Rui Barbosa) – Reduto. Contatos: (91) 3355-0002; 98367-2468;

Texto: Debb Cabral
Equipe Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia
Telefones: 91 98367 2468 | 3335 0002
Contato: contato@diariocontemporaneo.com.br
premiodiario@gmail.com
diariocontemporaneo.com.br

Casa das Onze Janelas
Laboratório das Artes
Praça Frei Caetano Brandão s/n - Cidade Velha
Abertura: 28 de abril (terça), às 19h
Visitas até: 28 de junho de 2015
Terça a sexta, 10h às 18h
sábado e domingo e feriados: 10h às 14h
Informações: 91 4009 8821 / 8823
onzejanela@gmail.com

Museu da Universidade Federal do Pará
Av. Governador José Malcher, 1192 - Nazaré
Abertura: 28 de abril (terça), às 19h
Visitas até: 28 de junho de 2015
Visitação: de terça a sexta-feira, das 9h às 17h
Sábados, domingos e feriados: de 9h às 14h
e-mails: museufpa@gmail.com e museu-ufpa@ufpa.br


— CORAL VOZES DA AMAZÔNIA | INSCRIÇÕES —

Estão abertas as inscrições para os interessados em participar do grupo Coral Vozes da Amazônia, no período de 10 a 30 de abril de 2015. Podera participar do coral qualquer pessoa acima de 18 anos, residente em Belém-PA.

Os interessados devem enviar um e-mail contendo seu nome completo e contatos pessoais para coral.vozesamazonia@gmail.com. Os candidatos serão submetidos a um teste vocal e musical com o maestro Eduardo Nascimento, em data e hora a serem informadas aos mesmos.

Os ensaios acontecem as terças e quintas-feiras, das 14h as 16h. Os coristas participam do grupo de maneira voluntária, não sendo, portanto remunerados, tendo direito a uniforme. O Coral possui uma agenda anual de apresentações, inclusive fora de Belém, podendo participar de um festival de coros, com patrocínio do Banco da Amazônia.

— • –

O Coral Vozes da Amazônia nasceu em 06 de agosto de 2002, por iniciativa dos empregados do Banco da Amazônia, com o propósito de reunir entusiastas e pessoas interessadas em cultivar e difundir internamente a arte do canto coral, descobrir talentos e aperfeiçoá-los como forma de humanizar o ambiente de trabalho, promover a autoestima e a melhoria da qualidade de vida dos amantes da música, não só da empresa quanto da comunidade regional, sobretudo a belenense. Sua primeira denominação foi "Coral Banco da Amazônia", em homenagem ao seu principal patrocinador, o Banco daAmazônia S.A. A partir de 2008, passou a denominar-se "Coral Vozes da Amazônia", desta feita, sob a administração da Associação Vozes da Amazônia, entidade criada com essa finalidade primordial.

Sua formação abriga pessoas da comunidade de diversas idades, credos e tendências. Do mesmo modo, detém um repertório bastante eclético com músicas sacras, eruditas e populares, nestas incluídas as do cancioneiro regional, nacional e internacional.


— BOLSAS DE CRIAÇÃO | CASA DAS ARTES —

Bolsa de Criação, Experimentação, Pesquisa e Divulgação Artística

Estão abertas as inscrições para a Bolsa de Criação, Experimentação, Pesquisa e Divulgação Artística desde o dia 13 de março. Serão concedidas 30 bolsas no valor de R$ 18 mil cada, distribuídas igualmente entre as artes cênicas e musicais, plásticas e audiovisuais, literárias e de expressão de identidade, além de linguagens derivadas destas, como, moda, design, circo e gastronomia, entre outras. As inscrições são gratuitas.

Esta é a 14ª edição do incentivo para artistas e produtores locais, cujo objetivo é aprimorar e fortalecer a produção artística do Estado. As bolsas são destinadas a todas as formas de manifestação artística, sejam elas ligadas à cultura popular, erudita ou de identidade. Por meio deste programa, a Fundação Cultural do Para vai investir R$ 540 mil em projetos culturais em todo o estado.

Durante a elaboração do edital, tivemos a preocupação de tornar claros os quesitos e as avaliações que serão realizadas ao longo de todo o processo. O programa segue os mesmos moldes das edições anteriores, atendendo a todas as linguagens. Nosso objetivo continua o mesmo: dar oportunidade para que estes artistas desenvolvam seus projetos”, explica Célia Jacob, diretora de artes da FCP.

Das bolsas ofertadas, 50% estão destinadas a projetos desenvolvidos na capital, 40% para o interior do estado e 10% reservadas a candidatos portadores de necessidades especiais. É fundamental que o projeto inscrito seja realizado no Pará. “O candidato pode desenvolver sua pesquisa no seu município de origem, sem nenhum problema. Em 2014 tivemos projetos de Santarém, Bragança, Ananindeua. Ele pode vir à capital apenas para a apresentação de resultados, que ocorre em três etapas”, detalha Célia.

As inscrições devem ser feitas com o uso de pseudônimos, de forma a garantir a idoneidade do certame. O edital contendo todas as informações sobre prazos de inscrição, desembolso de parcelas e seleção dos projetos, assim como formulário de apresentação, descrições a respeito das categorias e formas de pesquisa, está disponível no site da FCP. A entrega dos documentos e da ficha de inscrição deve ser feita no Centro de Experimentação Artístico e Cultural do Pará (antigo IAP).

PERÍODO / ATIVIDADE

13/2/2015 a 22/4/2015 - Inscrições
5/5/2015 a 19/2/2015 - Análise e seleção dos projetos
20/5/2015 - Divulgação do Resultado
20/5/2015 a 22/5/2015 - Prazo para interposição de recursos
1/6/2015 - Assinatura do contrato
1/6/2015 a 30/11/2015 - Vigência da Bolsa
1/6/2015 a 31/8/2015 - Devolução dos projetos não selecionados
7/12/2015 a 11/12/2015 - Apresentação do relatório final
14/12/2015 a 23/12/2015 - Circuito das Artes 2015

Casa das Artes
Praça Justo Chermont, nº 236 - Nazaré (ao lado da Basílica)
Inscrições de 03 de Março a 22 de Abril
Informações: 91 4006 2945


— DA VIDA INVENTADA | PAULO ANDRADE —

O Museu do Estado do Pará (MEP) recebe a exposição “Da vida inventada”, do artista plástico Paulo Andrade, com vernissage às 19h30.

A mostra traz ao público 20 telas de tamanhos variados, feitas no decorrer de 2014 e início deste ano, com a temática trabalhada pelo artista o longo de sua carreira: o imaginário popular da Amazônia. Nas telas estão presentes os detalhes observados por Paulo no cotidiano do caboclo amazônico, como os objetos feitos com miriti, aspectos do Círio, barcos, bandeirinhas, além da arquitetura.

Para ele, os objetos “representam uma alegria que não é verdadeira, já que o caboclo amazônico tem uma vida miserável, por isso, a vida inventada". Como fontes, Paulo Andrade cita a própria cidade de Belém, o mercado do Ver-o-Peso, a Ilha de Mosqueiro e o Arquipélago do Marajó. “Encontrei tanto na capital como no interior algumas similaridades nas suas vivências, as quais estão presentes nas minhas obras”, destaca o artista.

Paulo Andrade afirma ainda, que seus trabalhos ganharam um “plus”, com a exposição no MEP. “O Museu tem um quadro meu em seu acervo, e tenho uma relação de proximidade com o espaço, sempre o visitei”, diz o artista. Para 2016, ele já está pensando em trazer temas cotidianos, como a arquitetura abandonada, a miséria e o trânsito.

Museu Histórico do Estado do Pará – MHEP
Galeria Manoel Pastana | Palácio Lauro Sodré
Parça D.Pedro II, s/n - Cidade Velha
Dia 28 de abril (terça), as 19h30
Informações: 914009 9812 | 9331

• Entrada Franca •


— PRÊMIO DE POESIA BELÉM DO GRÃO PARÁ 2015 —

O PRÊMIO DE POESIA BELÉM DO GRÃO PARÁ 2015 é promovido pela A Senda Produções, e objetiva premiar livros inéditos na categoria POESIA, escritos em língua portuguesa, por autores paraenses ou residentes no estado do Pará.

INSCRIÇÕES:

Cada concorrente poderá participar com apenas uma obra.

O texto inscrito deverá ser inédito, ou seja, nunca ter sido publicado. Entende-se por publicação o processo de edição de uma obra literária e sua distribuição em livrarias ou pela internet, ainda que as mesmas não possuam número de registro no ISBN.

O original deverá ser enviado via internet, através da ficha de inscrição online, disponível no site poesiagraopara.wordpress.com.

Na primeira página (capa) do texto devem constar o nome do livro e o pseudônimo do autor.

Para efetuar sua inscrição online, o participante deverá
acessar o site do Prêmio: poesiagraopara.wordpress.com

Preencher o formulário de inscrição online com as informações pedidas e em seguida enviar o texto do livro no formato .PDF em anexo para o e-mail: poesiagraopara@gmail.com

A obra enviada deverá ter no máximo 100 páginas.

As inscrições deverão ser feitas entre 30 de março à 30 de julho de 2015.

JULGAMENTO

As obras inscritas serão analisadas por Comissão Julgadora composta por escritores, especialistas em literatura e críticos literários, indicados pela produtora.

A comissão julgadora final atribuirá o Prêmio a uma única obra e indicará também o segundo e terceiro colocados.

O único critério para seleção das obras vencedoras é o mérito literário, cabendo ao júri final a decisão, que será soberana e não suscetível de apelo.

 

PREMIAÇÃO

O resultado do PRÊMIO DE POESIA BELÉM DO GRÃO PARÁ 2015 será divulgado em setembro de 2015.

O vencedor terá sua obra publicada com uma tiragem inicial de 1.000 exemplares e recebera a premiação em dinheiro no valor de R$ 2.000,00 (DOIS MIL REAIS).

O segundo e terceiro colocados receberão respectivamente um notebook e um tablet.
A cerimônia de premiação será realizada em Belém, com data prevista para agosto de 2015.

O autor vencedor poderá participar de lançamentos da obra em eventos literários promovidos pela produtora, que assumirá os custos de locomoção e estadia do escritor.

O primeiro, segundo e terceiro colocados receberão um certificado emitido pela produtora, atestando a qualidade da obra para possível análise e publicação no mercado editorial.

DISPOSIÇÕES GERAIS

As inscrições para o PRÊMIO DE POESIA BELÉM DO GRÃO PARÁ 2015 são gratuitas.
Entende-se por poesia um texto ficcional poético divido em versos.

É vetada a participação de funcionários, estagiários e parentes em até segundo grau de funcionários da A Senda Produções, bem como de todos os envolvidos no processo de julgamento do concurso.

Será de responsabilidade do autor o compromisso de que o texto é inédito. Caso seja constatada sua publicação, a inscrição será anulada.

Não serão aceitas inscrições de obras póstumas. A coautoria não será aceita.

Será permitida a inscrição de obra cuja pequena parcela do conteúdo tenha sido publicada em blogs pessoais ou revistas eletrônicas, desde que não ultrapasse 25% do total da obra.

Ao se inscrever no o PRÊMIO DE POESIA BELÉM DO GRÃO PARÁ 2015, o candidato estará automaticamente concordando que conhece e aceita integralmente os termos deste regulamento.

O e-mail de confirmação citado no item 5 das inscrições não será enviado nas seguintes situações:

1 ) Caso o participante não tenha informado e-mail,

2 ) Caso o participante tenha informado um e-mail inválido e

3 ) Caso o e-mail do usuário possua filtro anti-spam.

Obs.: Caso deseje receber mensagem de confirmação, caberá ao participante informar uma conta de e-mail válida, em plenas condições de funcionamento e sem nenhum bloqueio (firewall, anti-spam, proxy ou outros)

Incrições até 30 de julho de 2015


— INSTITUTO UNIVERSIDADE POPULAR | UNIPOP —

O Instituto Universidade Popular (Unipop) estende a iniciação teatral ao público juvenil. Agora a juventude terá a oportunidade de se inserir em processos formativos por meio da arte-educação na UNIPOP. Durante os meses de maio e junho será realizada a ‘Oficina de Iniciação Teatral’, contemplando jovens de 13 a 17 anos.

Serão disponibilizadas 30 vagas. Sendo atingido o número de vagas na pré-inscrição, os próximos candidatos entrarão no cadastro de reserva. A inscrição somente será confirmada após certificação de disponibilidade do candidato quanto à continuidade do curso.

O objetivo da oficina é promover o envolvimento dos participantes com o teatro e a sua utilização como ferramenta de reflexão, ação e transformação para a resolução de problemáticas individuais e coletivas, numa perspectiva de reconhecimento e valorização dos Direitos Humanos, Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais (DHESCAs).

Período: maio e junho de 2015
Dias: Terças e quintas-feiras
Horário do curso: 15h às 17h
Investimento: R$ 30,00 mensais

UNIPOP - Instituto Universidade Popular
Av. Senador Lemos, 557 - Bairro Umarizal
Fones: 91 224 9074 | 223 1083
Inscrições de 13 a 30 de abril, das 14h as 19h
E-mail: universidadepopular@unipop.org.br


— 6º SALÃO DE ARTE JUVENIL DO CCBEU —

As inscrições para o 6º Salão de Arte Juvenil do CCBEU, estarão abertas durante o período de 02 de maio a 01 de junho de 2015. Este salão é para quem tem entre 07 e 14 anos de idade, por isso faz-se necessário a presença de um responsável no ato da inscrição.

Cada participante deverá apresentar 2 (dois) trabalhos devidamente emoldurados no tamanho máximo de 30x40cm, na condição de terem sido produzidos entre os anos de 2014 e 2015.

Teremos um Juri Popular e um Juri Especial, para seleção e premiação dos concorrentes. As premiações serão anunciadas no dia 20 de junho (sábado), as 10h da manhã.

Para saber mais sobre as inscrições e o regulamento do Salão, baixe o PDF referente ao Salão, no link abaixo:

www.culturapara.art.br/download/SalaoInfantoJuvCCBEU_2015.pdf

Galeria do CCBEU
Rua Padre Eutíquio, 1309
Inscrições de 02/05 a 01/06 de 2015
Segunda à sexta de 14h às 19h30
sábado de 9h às 13h
Informações: 91 3221 6100
www.ccbeu.com.br


— VII SALÃO DE HUMOR DA AMAZÔNIA —

VII Festival Internacional De Humor da Amazônia - 2015

R E G U L A M E N T O

O VII Festival Internacional De Humor da Amazônia insere-se no calendário de eventos de humor do Brasil e do mundo, com o objetivo de estimular e divulgar a produção dos humoristas gráficos. Será realizado em 2015 , no período de 30 de maio a 06 de junho, no Hangar – Centro de Convenções da Amazônia, Belém- Pará-Brasil, dentro da programação da XIX Feira Pan Amazônica do Livro.

Modalidades e Seleção

Tema A:
Liberdade de expressão–Charge/Cartum.
90 trabalhos serão selecionados

Tema B:
Caricaturas- Homenageados 6 Cartunistas franceses
( Siné, Plantu, Georges Wolinski , Jean Cabut - o Cabo,
Stephane Charbonnier - o Charb e Tignous) :
30 trabalhos serão selecionados

Inscrições: de 19 de março a 12 de maio de 2015.
Seleção dos trabalhos: 15 de maio de 2015

O tema Liberdade de Expressão é vasto é pode proporcionar tanto na Charge como no Cartum, uma gama de interpretações desde a relação dos homens nos primódios do mundo até os nossos dias ( artistas, escritores, gravadores, professores, chefes, comunicadores, etc.). Criatividade e bom humor é o que desejamos a todos os participantes

Serão aceitos trabalhos digitalizados ou elaborados em computador, 300 dpi, formato 30 x 40 cm, modo de cor RGB, jpg (qualidade alta ou média) obedecendo ao limite máximo de 1,0 MB. Os trabalhos terão que ser inéditos.

Preencher a ficha de inscrição com todos os dados do participante: nome completo, nome artístico, endereço completo com CEP, fones, email, RG, CPF ( números de documentos de identidade) , dados bancários, títulos das obras se tiver, ano de produção, anexar juntamente com as obras e enviar para o email: humorecologico@gmail.com

a) Cada participante poderá submeter ao concurso no máximo 02 (dois) trabalhos por modalidades.

b) Podem participar artistas e realizadores de qualquer nacionalidade

As cópias dos trabalhos selecionados farão parte do acervo do Festival de Humor da Amazônia. Poderão participar de mostras itinerantes, divulgação nas mídias impressa, televisada e eletrônica. Ao participar do concurso, o artista estará concordando com as regras do regulamento.

Premiação
Primeiro Lugar Charge/Cartum: R$ 3.000,00
Duas Menções Honrosas.

Primeiro Lugar em Caricatura: R$ 2.000,00
Duas Menções Honrosas.

Ficha de Inscrição:
brazilcartoon.com/noticias/internacionais/757


— CASA DAS ARTES | BOLSAS ARTÍSTICAS —

Inscrições para Bolsas Artísticas foram prorrogadas

O prazo para inscrições para a Bolsa de Criação, Experimentação, Pesquisa e Divulgação Artística 2015 foi prorrogado para o dia 22 de abril de 2015. O concurso oferece 30 bolsas no valor de R$ 18 mil cada, distribuídas igualmente entre as artes cênicas e musicais, plásticas e audiovisuais, literárias e de expressão de identidade, além de linguagens derivadas destas, como moda, design, circo, gastronomia, entre outras. As inscrições são gratuitas.

Esta é a 14ª edição do incentivo para artistas e produtores locais, cujo objetivo é aprimorar e fortalecer a produção artística do Estado. As bolsas são destinadas a todas as formas de manifestação artística, sejam elas ligadas à cultura popular, erudita ou de identidade. Por meio deste programa, a Fundação Cultural do Pará (FCP) vai investir R$ 540 mil em projetos culturais em todo o Estado.

Das bolsas ofertadas, 50% estão destinadas a projetos desenvolvidos na capital, 40% para o interior do estado e 10% reservadas a candidatos portadores de necessidades especiais. É fundamental que o projeto inscrito seja realizado no Pará. As inscrições devem ser feitas com o uso de pseudônimos, de forma a garantir a idoneidade do certame.

O edital contendo todas as informações sobre prazos de inscrição, desembolso de parcelas e seleção dos projetos, assim como formulário de apresentação, descrições a respeito das categorias e formas de pesquisa, está disponível no site da FCP (www.fcp.pa.gov.br). A entrega dos documentos e da ficha de inscrição deve ser feita na Casa das Artes (Antigo IAP).

Casa das Artes (antigo IAP)
Praça Justo Chermont, 236, ao lado da Basílica
Mais informações: 91 3202 4391 (Ascom/FCP)
Site: www.fcp.pa.gov.br



ARTES PLÁSTICAS
• ARTES PLÁSTICAS

— ENTRE IDAS E ÁGUAS | RAO GODINHO —

Exposição Entre Idas e Águas abre nesta quinta-feira

A exposição fotográfica Entre Idas e Águas, do fotógrafo paraense Rao Godinho, está aberta para visitação no Centro Cultural do Carmo. São 50 imagens produzidas no período de 2008 a 2014 em diversas viagens, que apresentam um olhar ribeirinho sobre as relações das pessoas com o elemento água.

O trabalho acaba de chegar a Belém após ser exposto no Museu da Escola Catarinense (Mesc) em Florianópolis, no período de 2 de fevereiro a 27 de março. Parte da série de imagens também já foi exposta em Belém, mas é a primeira vez que a exposição completa poderá ser vista pelos paraenses.

Esta é uma exposição que se recria, dadas as novas e melhores imagens captadas entre uma edição e outra. Um ponto interessante é a presença de fotos feitas na Alemanha e na Polônia, que mostram a água de forma lúdica, assim como aqui. É impressionante, mesmo no frio europeu, o quanto as pessoas buscam estar próximas à água nos momentos livres”, observa Rao.

O olhar peculiar revelado nas fotografias de Rao não deixa dúvidas sobre sua relação com a água. "Sempre tive admiração pela água, sempre foi meu elemento natural preferido, em todos os momentos. Quando estou dentro ou próximo dela, sinto-me relaxado e renovado”, explica.

Assim, o ingresso na fotografia artística não poderia ser em outro lugar. Em 2008, durante as primeiras férias da faculdade que cursava no interior de São Paulo, veio a Belém e retratou a vida ribeirinha para mostrar aos amigos, curiosos sobre como era a cidade. Dessa forma também surgiram as primeiras fotografias da atual exposição.

Outras viagens reforçaram as raízes amazônicas de Rao Godinho e contribuíram para o senso estético dele, ao mesmo tempo em que ampliaram sua visão sobre a importância social da água. “Depois de começar a fotografar, esse amor pela água me levou a outros temas, não só à beleza, mas também a tentar buscar outras formas de conscientização sobre o elemento que sustenta toda a vida”.

E agora, para a realização de Entre Idas e Águas, Rao Godinho buscou financiamento coletivo. Durante 60 dias, 29 pessoas acreditaram e investiram no trabalho, patrocinando o artista de forma colaborativa. “Foi uma experiência interessante. Os apoiadores foram majoritariamente amigos e parentes que acreditam na minha arte. Como incentivo, àqueles que contribuíram com R$40, ou mais, eu enviei uma ampliação de uma foto da exposição, à escolha do contribuinte”.

Carambela e a importância da água mundialmente

A relevância do tema escolhido por Rao Godinho não passou alheio. A fotografia Carambela – também incluída na exposição – foi premiada em Nova Iorque e selecionada para compor uma coletiva, comemorativa ao Dia Mundial da Água, em 2013, e passou a integrar o acervo do Museu da Imagem e do Som de Campinas, em São Paulo.

Ela ainda foi seleciona no concurso O Fim dos Clics?, em dezembro de 2012, como uma das fotografias que merecem ser vistas, antes que o mundo acabe. O concurso selecionou os participantes a partir da pergunta “Se o mundo acabar, qual foto você deixaria como registro de nossos dias?

Carambela foi feita ao acaso, durante um atraso de viagem a trabalho para Manicoré, no interior do Amazonas. “Nesse dia livre, fui almoçar num flutuante e de repente apareceram muitas crianças para brincar no local”, relembra Rao. “Não pensei duas vezes, peguei a câmera e comecei a participar das brincadeiras, dos saltos e tudo mais. Inclusive um deles fez uma ótima foto minha saltando”, revela.



Centro Cultural do Carmo
Praça do Carmo, 40/48
De 09 a 28 de abril
De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h
e das 15h às 18h. Aos sábados das 9h às 12h.

• Entrada franca •


— ENTRE O RUMOR E O SILÊNCIO | MARCÍLIO COSTA —

O poeta e artista visual Marcílio Costa, estará abrindo sua exposição "entre o rumor e o silêncio", na Galeria Theodoro Braga, no dia 09 de abril de 2015, às 19h. Abaixo o texto apuradíssimo de Marise Mokarzel, curadora da exposição.

“Uma substância inerente à arte e não uma exclusividade da palavra”, assim Marcílio Costa define a poesia, pensando-a a partir de Octavio Paz em O Arco e a Lira. Poeta, artista visual locomove-se em um universo sem margens, ou acredita que a margem “é o limite entre uma coisa e outra, é a separação mas também o encontro entre essas coisas, é a zona incerta que é mar e terra ao mesmo tempo. Por isso transita entre imensidões, mergulha e flutua por áreas distintas, permitindo-se atravessar por seres diversos. Um único papel não é suficiente, viver é mais, implica em voltar-se para si mesmo sem deixar de ver o outro e inserir-se no mundo sendo capaz de ir além das margens".

Entre o rumor e o silêncio situa a sua arte que emerge do fluxo de seus movimentos, da fatura que não distingue o poeta do artista visual. Assim caminha-se pelas obras, amalgamados às palavras e às imagens, envoltos em sentimentos e incertezas, na inquietude da ação poética que desestabiliza, faz pensar e sentir. Para Marcílio, o que importa é o cotidiano em seu incessante percurso e se formos além da superfície da cena urbana perceberemos “a insinuação de uma substância, de uma potência poética que, sutilmente se desprende.” A obra de Marcílio Costa se constrói nessa sutil substância que revela o potente estado poético da vida. Perspicaz, como Walt Whitman, segue o som das palavras bafejadas pela sua voz, os contornos insinuados pelas suas imagens.

Marisa Mokarzel


Galeria Theodoro Braga 
Av. Gentil Bittencourt, 650 — CENTUR
De 09 a 30 de abril de 2015
De segunda a sexta-feira, das 9h as 19h
Mais informações: 91 3202 4313



— KM 35 | EMANUEL FRANCO —

O ertista plástico Emanuel Franco, abre nesta terça-feira, dia 31 de março, as 19h, no Centro Cultural Sesc Boulevard, em comemoração aos seus 35 anos de produção artística, a exposição "KM 35".

"KM 35" é uma exposição individual de objetos e instalações visuais, produzidos com mantas e refugos de lonas enceradas usadas como proteção de cargas nas estradas e rodovias brasileiras. As obras são inéditas e foram produzidas com exclusividade para a citada mostra. "Km 35" é a décima segunda exposição individual do artista que completa este ano 35 anos de produção no área das artes plásticas e visuais.

Emanuel Franco iniciou sua trajetória artística em 1979, participando de mostras coletivas em Belém e outros centros do País, entre elas Galeria Ângelus do Teatro da Paz / Belém-PA (1984 ); Salão Paranaense /Curitiba-PR (1986 e 1996); Projeto Arte Amazônia / Instituto Goethi-Belém/Alemanha (1992); MAC /SP - Premio Gunther (1993); Arte Belém-Brasil - Galerias Im Brecht - Haus, Helmut Schuster, VOXXX e Artco / Alemanha; Salão Arte Pará (1984 a 2005); Bienal de Santos (2004); Mostra João Turin /Curitiba-PR (2003 e 2005). Artista premiado em Salões de Arte de Belém e de outras cidades brasileiras. Artista participante do Projeto Rede Nacional de Artes Visuais/ FUNARTE-MINC (2005 e 2006). Curador independente.


SESC Boulevard
Castilho França, 522/523 - Campina
( em frente à Estação das Docas).
Dia 31 de março (terça), às 18h
Visitas até 10 de maio de 2015
Informações: 91 3224 5305 / 5654 | 4005 9584
sescboulevard.blogspot.com
sescboulevard@gmail.com.br


Entrada Franca




TEATRO
DANÇA •
CINEMA

— CASA DA ATRIZ | PROGRAMAÇÃO DE ANIVERSÁRIO —

A Casa da Atriz completa 5 anos no dia 15/05 de atuação no cenário cultural de Belém e durante este período produziu 07 espetáculos, 13 edições do Curta a Cena, 16 Leituras Dramáticas, 7 Oficinas ,1 Contação de Histórias e 16 Visitantes. Ao longo desse tempo passaram pela Casa da Atriz cerca de 3.500 pessoas.

A programação de aniversário conta com dois espetáculos de estréia, "Bem perto do Paraíso", produção da Casa da Atriz, e o espetáculo "Assim seja...o divino Raitec", do BAI (Bando de atores independentes).

BEM PERTO DO PARAÍSO

Em uma casa no campo, elegante e simples, um rapaz tímido, sem grandes pretensões na vida, vai casar. Mas, há um segredo que precisa ser mantido e esquecido para que esse casamento aconteça. Porém, há quem deseje não guardar segredos... Essa é sem dúvida uma história de amor, ou de amores: amor entre irmãos, amor de mãe para com os filhos, amor à vida. Uma família unida por um sentimento. Pessoas intensas no anseio de viver. Uma mãe zelosa que é capaz de tudo pela felicidade dos filhos, filhos que precisam de um extremo para realizar o que desejam. Há um caminho tortuoso a ser percorrido...

Descobriremos que nem sempre o nosso paraíso será bem visto por todos.

“É impossível negar o amor!

Ficha técnica:

Direção: Juliana Porto
Assistência de direção: Luciana Porto
Dramaturgia: Mailson Soares
Cenografia e figurinos: Neder Charone
Sonoplastia: Leoci Medeiros
Iluminação: Luciana Porto
Produção: Paulo Porto

Elenco: Yeyé Porto, Mailson Soares e Bernardo Baía

Realização: A Casa da Atriz
Estreia: 15 de abril de 2015 | Hora: 20h
Ingressos: R$ 20,00 (meia entrada para estudantes)

ASSIM SEJA... O DIVINO RAITEC

Direção: Nando Lima
Cenografia e figurinos: Maurício Franco
Iluminação: Nando Lima

Elenco: Maurício Franco e Sandra Perlin

Casa da Atriz
Estréia: 17 de abril | Hora: 20h
Ingresso: R$ 20,00 (meia entrada para estudantes)

Casa da Atriz
Rua Oliveira Belo, 95
(entre Generalíssimo Deodoro e Dom Romualdo de Seixas)
Programação de 15 a 30 de abril de 2015
facebook.com/acasadaatriz | tel: 91 3349-1003




MÚSICA
MÚSICA

— MINNI PAULO & URBANDA —

O contrabaixista, compositor, arranjador e diretor musical Minni Paulo, iniciou sua carreira na década de 1970 e participou de diversos grupos no Pará, em São Paulo, no Rio de Janeiro e na França. Tocou com os artistas Zezé Mota, Tim Maia, Luiz Melodia e Elza Soares, entre outros. Tem dois discos gravados, o primeiro "Floresta das Chuvas"e o segundo CD, "Marabaixo", que foi gravado e produzido na França.

SESC Boulevard
Castilho França, 522/523 - Campina
( em frente à Estação das Docas).
Dia 22 de abril (quarta), às 19h
Informações: 91 3224 5305 / 5654 | 4005-9584
sescboulevard.blogspot.com
sescboulevard@gmail.com.br


Entrada Franca


— RAFAEL LIMA | NÔMADE —



foto: Sérgio Malcher

O cantor e compositor paraense Rafael Lima, faz show de lançamento de seu novo Cd "Nômade", onde reúne composições inéditas e participações especialíssimas. O Cd traz o som da mata e o grito dos povos da floresta devastada, fala das agruras no sul do Pará e faz citações à Cabanagem, além da luta pela democratização do Brasil, temas sempre presentes em seu repertório autoral.

Alcyr Guimarães Sequeira é compositor, cantor, instrumentista e médico aposentado. Com mais de 25 discos lançados, Alcyr toca vários instrumentos, entre eles: viola, violão, teclado e cavaquinho.

SESC Boulevard
Castilho França, 522/523 - Campina
( em frente à Estação das Docas).
Dia 23 de abril (quinta), às 19h
Informações: 91 3224 5305 / 5654 | 4005-9584
sescboulevard.blogspot.com
sescboulevard@gmail.com.br


Entrada Franca



OUTROS •
EVENTOS
• OUTROS

— SALA DE CORDAS —

Ele é um projeto que nasceu bem antes de existirem leis de obrigatoriedade do ensino da música em escolas públicas. Já em 2007, cumpria seu papel. “O Sala de Cordas surgiu para valorizar o ambiente escolar, ajudar a diminuir a evasão de alunos, acolher crianças em situação de risco e ser um estímulo a todos que dele participam”, enumera Paulo Moura, idealizador do projeto e titular da Coordenadoria de Linguagem Sonora, da Fundação Cultural do Pará.

O projeto reinicia as atividades nesta terça-feira, 7. As aulas ocorrerão entre os meses de abril e junho, nos seguintes lugares: Escola de Ensino Fundamental Ulisses Guimarães (Belém), Escola Municipal de Ensino Fundamental Erminio Calvinho (Ananindeua), Escola de Música Pedro Castro Pacheco (Melgaço), Prefeitura Municipal de São Caetano de Odivelas e Hospital de Custódia da Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe).

Foram ofertadas 80 vagas, distribuídas em quatro turmas, nos horários da manhã e da tarde. As aulas, de violões de sete cordas, com 16 instrumentos para cada entidade participante do projeto, começam nesta terça-feira, 7, sempre às terças e quintas, somando uma carga horária de 60h.

No fim do curso, cada entidade promove um evento para que os grupos se apresentem. Vamos até lá acompanhar e ocorre um bate-papo sobre música. É um projeto que sempre teve um bom resultado”, diz Paulo Moura. “Em uma de nossas primeiras edições fomos pioneiros em levar esse tipo de atividade para o Centro de Recuperação Feminino (CRF), e desta oficina nasceu um grupo que se manteve em atividade após as aulas. Hoje, elas formam uma orquestra”, destaca Fátima Lima, servidora da Coordenadoria de Linguagem Sonora.

O objetivo do projeto é estimular a arte de uma maneira geral, e ao voltar-se para entidades como o Hospital de Custódia, isto é ampliado, integrando o aluno à sociedade através das cordas, da educação e sensibilidade musical. “Além de colaborar com esta ressocialização, a música em si é uma terapia que serve de estímulo muito positivo para a saúde dos pacientes, no caso do HC”, reforça Paulo Moura.

Os professores que darão aulas nos municípios de Melgaço e São Caetano de Odivelas são do próprio município. Eles receberam aulas de capacitação para que possam desenvolver sua metodologia com a mesma dinâmica e materiais de apoio que serão usados em Belém e região metropolitana.

Mais informações pelo telefone 91 3202-4369, da Coordenadoria de Linguagem Sonora.

Andreza Gomes
Fundação Cultural do Pará

— GOTAZKAEN | CURSOS DE ABRIL —

Matrículas abertas para os cursos de ABRIL da Escola Gotazkaen
Curso de Programação em Phyton.
Oficinas iniciam no dia 13 abril (segunda)
a partir das 11h

ILUSTRAÇÃO - Curso de Ilustração Focado na Prática.
LIKE A PRO - Curso de Fotografia Avançada.
M DE MANUAL - Curso de Fotografia Básica para Iniciantes. 
VAGALUMENS - Curso de Vídeo Mapping.
PHAXION - Curso de Fotografia de Moda. 

Saiba os detalhes de cada curso em nosso site www.gotazkaen.com.br

Gotazkaen Estúdio
Travessa Rui Barbosa, 543
(entre Ó de Almeida e Aristides Lobo)
Tel. 91 3348 6407
www.gotazkaen.com.br

Vagas Limitadas e matrículas parceladas
em até 3x sem juros no cartão de crédito.

— PINHOLE DAY BELÉM • 2015 —

Exercícios de Liberdade” é o tema da 14ª edição do Pinhole Day Belém, projeto que celebra anualmente a prática da fotografia artesanal, concatenada a diversas cidades no mundo inteiro.

Em 2015, com um programa diverso que engloba oficinas, intervenções, jornadas fotográficas, mostras e debates, o projeto acontece entre os dias 7 e 29 de abril, através da co-realização da Associação Fotoativa, o Coletivo Olhar Analógico e o Espaço Casulo Cultural.

Ao longo do mês de abril, serão realizadas quatro oficinas, que seguem com pré-inscrições abertas, sendo as três primeiras ofertadas pela Fotoativa e a última pelo Espaço Casulo Cultural.

O PINHOLE LAB será conduzido pelos artistas Cinthya Marques e Allan Maués. É um laboratório destinado a discutir as possibilidades da construção de ensaios e narrativas visuais a partir da construção de câmaras pinhole em formato de filme 35mm (pinlux).

A oficina PINHOLE LIVRE será conduzida por Miguel Chikaoka, com a proposta de investigar as possibilidades da fotografia artesanal, a partir de leituras imersivas das bases científicas e conceituais do processo, para, a seguir, desdobrar em experimentações e construções de novos dispositivos fotográficos.

Os Exercícios de Conversação: fotografia artesanal, educação e comunicação visam preparar a equipe de trabalho, de até 30 pessoas, para a 14ª Jornada Pinhole Day Belém. A proposta é baseada no entendimento de que o projeto é parte de um grande laboratório criativo e educativo.

No Espaço Casulo Cultural, durante todo o dia 25 de abril, a artista e educadora Renata Aguiar ministra a oficina Pinhole Digital – Retrato e identidade, partindo da técnica pinhole em câmeras digitais, aplicada na construção de retratos fotográficos que investiguem as questões de identidade.

O Coletivo Olhar Analógico participa do evento este ano, com a ideia principal de ocupar espaços públicos. O grupo vai produzir todo material da exposição, utilizando a técnica de fotografia artesanal, nos locais onde as obras ficarão expostas.

A culminância do projeto acontece no último domingo do mês de abril, durante a Jornada Pinhole Day Belém, que anualmente reúne um público diverso e conta com a participação de crianças, famílias, estudantes, moradores, vizinhos e amigos fotoativistas. Em 2015, a Jornada estará de volta ao Casarão da Fotoativa que abrirá suas portas no dia 26 de abril, a partir das 8h da manhã.

Mais detalhes sobre inscrições e participações nas oficinas,
no site da Fotoativa em: fotoativa.org.br/?p=5335



fotoativa.org.br/?p=5335

— SALVE O CASARÃO DO BONECO | OFICINAS —

O Casarão do Boneco é um espaço cultural, sede do grupo In Bust- Teatro com Bonecos, no qual se desenvolvem ensaios, apresentações, oficinas, exposições, reuniões e encontros de produção artístico-culturais, todos realizados de maneira colaborativa e autogestionada junto a parceiros dos grupos e coletivos cênicos: Produtores Criativos, Projeto Vertigem, Vida de Circo, Causo Companhia, Grupo de Teatro Universitário, Coletivo Mia Sombra, Companhia de Teatro Madalenas, Coletivo de Animadores de Caixas e o Pirão Coletivo que atuam na cidade de Belém.

Há 14 anos é referência para atividades culturais de grupos da cidade de Belém e de outros Estados.
Em 2015, este casarão centenário inicia uma campanha para arrecadar fundos para sua reforma. Ao longo do ano serão realizados: eventos trimestrais, projeto de financiamento coletivo via CATARSE e temporadas dos grupos ocupantes.

Convidamos a sociedade para colaborar com a manutenção dessas atividades. Participe dos eventos, assista aos espetáculos, freqüente as oficinas e a exposição, realize com esses coletivos a existência do Casarão do Boneco!


Casarão do Boneco
Av. 16 de Novembro, 815
(próx. a Praça Amazonas)
Lançamento: 11/04, as 17h
Inscrições: salvecasarao@inbust.com.br


— DE OLHOS VENDADOS —

A Associação Fotoativa abre seu calendário de formação de 2015 com a oficina De Olhos Vendados – iniciação à fotografia, ministrada por Miguel Chikaoka. Entre os meses de fevereiro e abril, serão duas turmas em atividade, uma às terças e quintas, e outra aos sábados.

Segundo Miguel Chikaoka, fotógrafo e educador premiado em 2012 com a Ordem do Mérito Cultural pelo Ministério da Cultura, “a proposta da oficina é articular o aprendizado e a prática da fotografia através de experimentos inspirados na leitura da gênese do processo de produção de imagens”. A Luz, matéria prima de seu trabalho poético e pedagógico, é também tema central da atividades da Instituição em 2015, sugerido pela Organização das Nações Unidas, com o Ano Internacional da Luz.
Com carga horária de 48 horas, divididas em dois meses, a oficina de Miguel Chikaoka, uma das mais procuradas no país, integra vivências que envolvem práticas de construção e uso de dispositivos de visualização e captura de imagens, jogos e exercícios sensoriais, expedições e rodas de conversa. O objetivo da oficina é estimular o exercício do pensamento crítico-criativo sobre as possibilidades do fazer fotográfico e seus desdobramentos nas mais diversas áreas do conhecimento.

Miguel Chikaoka é de Registro-SP, vive e trabalha em Belém desde 1980, onde idealizou os projetos de criação da Associação Fotoativa e Agência Kamara Kó Fotografias. Suas obras transitam entre imagens, instalações e objetos de caráter conceitual, pautados na experiência de religação dos sentidos. Participou de diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Em 2012, recebeu o Prêmio Brasil de Fotografia e a Comenda da Ordem do Mérito Cultural – MinC por sua contribuição à cultura brasileira.

Turma 1: terças e quintas, 19h30 às 21h30 – 24 de fevereiro a 23 de abril de 2015

Turma 2: sábados, 14h às 18h – 28 de fevereiro a 25 de abril de 2015
Carga Horária: 48 horas


Oficina De Olhos Vendados
Trav. Frutuoso Guimarães, 611
Campina, Belem Do Pará, Para, Brazil
facebook.com/kamarakogaleria/info
Telefone: 91 3261 4809


— BELÉM AOS 80 —
http://youtu.be/7tQAyCFn-Mo

 

No início da década de 1980 havia certa efervescência cultural, fruto de um processo político liberalizante depois dos anos de chumbo que vivemos, e uma grande ansiedade por mudanças. Surgiram iniciativas na área artística que contribuíram para um novo olhar sobre nossas idéias, costumes, valores sociais e morais. Nascia uma grande cumplicidade entre as pessoas e uma participação viva em qualquer evento que trouxesse o adjetivo “arte” em seu script. A inquietação era tanta que movimentou desde grupos alternativos, que romperam paradigmas na forma de apresentar seus trabalhos, até a explosão do talento da criação artística que delineou e legitimou toda a arte contemporânea produzida em nossa cidade posteriormente. Resumidamente, os anos 1980 vão ser lembrados como um marco na vida de todos aqueles que o vivenciaram como criadores ou participantes ativos dessa geração e como herdeiros de uma década que mudou toda uma história de viver e fazer arte em nossa região. "Belém Aos 80" é uma visita a alguns personagens e movimentos que marcaram esses anos na cidade, registrando momentos de exaltação sócio-cultural da época.

• • • FICHA TÉCNICA • • •

  • Direção e Roteiro:
    Alan Kardek Guimaraes

  • Argumento:
    Januario Guedes

    Celso Eluan Lima

  • Fotografia e Câmera:
    Diógenes Carvalho Leal