O Cultura Pará criou a Agenda da Semana com o objetivo de publicar neste espaço as manifestações artísticas de nossa região seguindo a mesma linha de trabalho proposta pelo site. Festas, eventos em bares e outras locações em que a arte não seja objeto prioritário, não serão contemplados. Os interessados deverão enviar a programação, acompanhada de release e uma imagem representativa, até segunda-feira (às 19h) de cada semana. Esta agenda tem o apoio da Sol Informática.

DESTAQUE •
DESTAQUE DESTAQUE

— BIBLIOTECA ARTHUR VIANNA | 144 ANOS —

O mês de março na Fundação Cultural do Pará (FCP) será dedicado ao aniversário de 144 anos da Biblioteca Pública Arthur Vianna. De 23 a 28 de março, o público recebe uma programação variada e gratuita em todos os espaços que fazem parte da instituição, como o Cine Líbero Luxardo e o Teatro Waldemar Henrique. Entre as atividades, será realizada a entrega do “Prêmio Dalcídio Jurandir de Literatura 2012 e 2013” e o retorno da exposição “Mário de Andrade na Amazônia”.

As atividades foram elaboradas pela Diretoria de Leitura e Informação da FCP. “Com foco nas comemorações, mas também na divulgação dos serviços e projetos realizados pela biblioteca, se aproximando mais de seus usuários”, explica Ruth Selma dos Santos, gerente da Arthur Vianna.

A primeira atividade desta programação será justamente no ambiente da comunidade, a Escola Estadual Professora Leonor Nogueira, na Marambaia, que recebe o ônibus-biblioteca do projeto “Caravana da Leitura”, dia 23, das 9h às 12h; e dia 24, das 14h às 17h.

No mesmo dia será realizada a entrega do “Prêmio Dalcídio Jurandir de Literatura 2012 e 2013”, no Teatro Margarida Schivasappa, a partir das 19h. Instituído em 2007, ele premia escritores nas categorias: romance (em âmbito nacional), poesia, crônica e conto (apenas autores paraenses ou residentes no Pará). As obras selecionadas serão editadas pela FCP e cada vencedor das categorias poesia, conto e crônica recebe premiação no valor de R$ 3 mil. Já na categoria romance, a premiação será de R$ 5 mil.

O filme “Balzac e a Costureirinha Chinesa” será a programação ofertada nos cinemas da FCP durante a semana de aniversário da biblioteca. Nos dias 23 e 24, às 19h, ele será exibido no Cine Líbero Luxardo; nos dias 26 e 27, também às 19h, ele chega ao Cine Alexandrino Moreira, localizado na Casa das Artes (Antigo IAP). Já no dia 25, das 9h às 12h, o Cine Líbero abre suas portas para as famílias, apresentando o III Festival Pororoca de Contação de Histórias.

O projeto “A Noite é uma Palavra” realiza sua primeira edição do ano em ambiente novo, o Teatro Waldemar Henrique, na Praça da República. Escritores convidados se revezam no palco para dizer suas poesias, desde as que já foram publicadas até produções feitas exclusivamente para o evento, que será dia 24, às 19h, com entrada franca, respeitando o limite de lotação do teatro. Em 2014, o projeto foi dos que mais teve público, sendo realizado toda última terça-feira de cada mês e prestigiando autores de vários municípios paraenses.

Oficinas

Uma boa novidade deste ano, são as oficinas que serão ofertadas ao longo da semana de aniversário da biblioteca. Entre as que mais recebem inscrições está a “Oficina de Restauro de Livros”, realizada na Sala de Restauro da FCP. Serão 15 vagas disponíveis, para aulas de 23 a 27 de março, das 8h às 12h. Durante os mesmo dias e horário, será realizada a oficina Biblivre, voltada principalmente para estudantes de Bilioteconomia, com aulas na Sala G, do 1º andar do Centur.

As pessoas que visitarem a biblioteca entre os dias 23 a 28 de março poderão ver também a exposição “Mário de Andrade na Amazônia”, instalada no 2º andar, e que traz diversas fotografias relacionadas ao tema. Ainda no segundo andar, entre os dias 25 e 28, das 9h às 12h, o projeto “Caravana da Leitura” desenvolve diversas atividades literárias com o público. Toda esta interação irá render ainda uma bela premiação: a “Biblioteca Amiga”, às 19h, do dia 25, data em que a Arthur Vianna completa 144 anos.

Um universo de informação e leitura

A Biblioteca Pública Arthur Vianna está entre as maiores bibliotecas do país e recebe em média 15 mil usuários por mês, em seus 13 setores. Em termos de acervo, a instituição disponibiliza cerca de 800 mil volumes, entre livros, jornais, discos e outros. “O acervo apresenta um número variável porque recebemos muitas doações de todo tipo de materiais e há aquisições que são feitas periodicamente pela própria instituição”, explica Ruth. Entre os principais serviços que o público pode ter acesso está o empréstimo de livros, o acesso à internet e o uso das áreas voltadas especialmente para as crianças.

Fundada graças aos esforços do Sr. Joaquim Pires Machado Portella, presidente da província, que escreveu cartas para a capital e o interior da província, solicitando livros ou quantias para comprá-los, a Arthur Vianna foi solenemente inaugurada no dia 25 de março de 1871. Instalada em “um grande salão e compartimentos contíguos ao pavimento térreo do edifício do Lyceu paraense”, descreve um documento da época, seu acervo era de mais de 1914 volumes e 55 folhetos.

No governo de Lauro Sodré, no ano de 1895, foi adquirido o prédio onde funcionou o Banco Commercial do Pará, para nele instalar a Biblioteca Pública, hoje Arquivo Público do Pará, que no ano de 1894, foi oficialmente incorporado à Biblioteca. Por sua própria expansão e pela inadequação de espaço, em 1986, a Biblioteca Pública se desvinculou do Arquivo Público e foi transferida para a Fundação Cultural do Pará, onde funciona até hoje, recebendo o nome de Biblioteca Pública Arthur Vianna.

Programação:

Entrega do “Prêmio Dalcídio Jurandir de Literatura 2012 e 2013
No Teatro Margarida Schivasappa
Dia 23, 19h

Caravana da Leitura
Escola Estadual Professora Leonor Nogueira
Dia 23, das 9h às 12h

Dia 24, das 14h às 17h
Filme “Balzac e a Costureirinha Chinesa
Cine Líbero Luxardo
Dias 23 e 24, às 19h

Oficina de Restauro
Sala de Restauro – 4º andar da FCP
15 vagas
Dias 23 a 27, das 8h às 12h

Oficina Biblivre
Sala G – 1º andar da FCP
20 vagas
Dias 23 a 27, das 8h às 12h

Exposição “Mário de Andrade na Amazônia
Biblioteca Arthur Vianna – 2º andar da FCP
Dias 23 a 28, das 8h30 às 19h

Projeto “A Noite é uma Palavra
Teatro Waldemar Henrique – Praça da República
Dia 24, às 19h

Caravana da Leitura
Biblioteca Arthur Vianna – 2º andar da FCP
Dias 25 a 28, das 9h às 12h

III Festival Pororoca de Contação de Histórias
Cine Líbero Luxardo
Dia 25, das 9h às 12h

Premiação “Biblioteca Amiga
Biblioteca Arthur Vianna – 2º andar da FCP
Dia 25, às 9h

Filme “Balzac e a Costureirinha Chinesa
Cine Alexandrino Moreira – Casa das Artes (Antigo IAP)
Dias 26 e 27, às 19h

Via: Andreza Gomes
Fundação Cultural do Pará


— CATÁLOGO V EDIÇÃO | DOWNLOAD GRATUITO —
• Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia •

A publicação traz o resultado da 5ª edição, realizada em 2014, e que premiou Alberto Bitar (PA), Diego Bresani (DF), e Yukie Hori (SP). Reunindo imagens das três exposições realizadas pelo projeto “Mostra V Prêmio Diário Contemporâneo”, “Cidade Invisível”, do artista convidado Janduari Simões e “Pequenas cartografias (e duas performances)”; e totalizando a participação de 37 artistas de todo o Brasil.

Destacam-se também os textos críticos “Fotografia: campos de expansão”, de Rubens Fernandes Junior; “Imagem, registro, poética”, resultado de uma entrevista do fotógrafo Janduari Simões com público, ocorrida no MUFPA; “Para que serve uma imagem fotográfica?”, de Alexandre Santos, além de textos de Marisa Mokarzel e Mariano Klautau Filho, curador do projeto.

diariocontemporaneo.com.br/wp-content/uploads/2015/01/catalogo-2014.pdf

Os catálogos das outras edições também se encontram
disponíveis no site do Diário Contemporâneo.


— INICIAÇÃO AO ROTEIRO AUDIOVISUAL —

Curso Iniciação ao Roteiro Audiovisual
ministrada pelo diretor, roteirista e ator paraense Adriano Barroso.

O principal objetivo é oferecer as ferramentas técnicas que serão as aliadas da criatividade no desenvolvimento da escrita para o cinema.

O cineasta Adriano Barroso é um dos mais importantes expoentes do cinema produzido no Pará. Como ator, Adriano possui 25 anos de experiência teatral e atuou em oito filmes, dentre eles longas de diversas produções nacionais, como “Serra Pelada” e “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios”. Dirigiu os documentários “Ópera Cabocla” e “Chupa-Chupa: a história que veio do céu”, onde também assina o roteiro. Roteirizou ainda os curtas “Promessa em Azul e Branco”, “Visagem”, “Admirimiriti” e os premiados “A Onda: Festa na pororoca” e “Matinta”, onde também atua.

SESC Boulevard
Castilho França, 522/523 - Campina
( em frente à Estação das Docas).
Inscrições/comerciários: 24 a 28/02, de 09h as 18h
Inscrições/público em geral: 03 a 07/03, de 09h as 18h
Oficina: 10 a 14 de março, 09h as 13h
Informações: 91 3224 5305 / 5654 | 4005 9584
sescboulevard.blogspot.com
sescboulevard@gmail.com.br


Entrada Franca

— POESIA, A VOZ SELVAGEM | ANTÔNIO MOURA —

Estão abertas desde quinta-feira, 19/02, as inscrições para o curso de “Poesia – A voz selvagem”, que será ministrado pelo poeta e escritor Antonio Moura, no Centro de Experimentação e Pesquisa Artística e Cultural do Pará (antigo IAP) no mês de março.

A capacitação é voltada para escritores, professores, jornalistas e profissionais da área da literatura. "O objetivo do curso é levar os participantes a compreender a linguagem literária, sua produção e fruição como experiências subjetivas com a realidade", explica Antonio Moura.

A metodologia aplicada à capacitação prevê a aplicação de exercícios práticos e a convivência com o texto literário, estimulando a experiência criativa e possibilitando ao indivíduo entender e compreender essa produção como uma forma de conhecimento que amplia suas percepções como agente transformador da sociedade.

Durante o processo de aprendizado e troca de conhecimentos, os participantes vivenciarão a escrita e sua relação com outras linguagens - fotografia, pintura, música e cinema, entre outras.

Andreza Gomes
Fundação Cultural do Pará

Centro de Experimentação e
Pesquisa Artística e Cultural do Pará

(Antigo Institudo de arte do Pará – IAP)
Praça Justo Chermont, 236 - Nazaré
(ao lado da Basílica)
De 09 a 13 de março | Das 14h as 19h
Informações: 91 4006 2900

• Inscrições Gratuitas


— BANQUETE BRASIL ÁFRICA —

Abrindo as programações do Centro Cultural do Carmo em 2015, "Banquete Brasil África" vai promover até o final deste mês, o encontro do público com artistas de diversas linguagens e vários olhares sobre a africanidade que formou a cultura brasileira. Abertura é nesta sexta, 6, às 19h, com visitação até 28 de março.

As energias, memórias poéticas e sagradas do Brasil africano estarão norteando as falas e ações previstas na programação, que além de ficar aberto de dia, a cada sexta-feira trará algo especial aos visitantes, sempre no horário noturno, às 19h. A realização é do Estúdio Amazônia.

Laurenir Peniche, produtora da mostra, explica que a proposta era explicitar a contribuição da cultura negra na identidade brasileira. “O Banquete Brasil África é um verdadeiro Kizomba - uma grande reunião - onde artistas de diversas linguagens pudessem conectar o púbico nesses cotidianos, nessas memórias que temos todos os dias e não nos apercebemos que vem da África”.

Para ela é importante essa apropriação cultural. “A proposta é desmistificar essa ideia que se construiu de uma África distanciada. É mostrar um pouco da verdadeira contribuição do negro na cultura brasileira e também amazônica que vai da gastronomia à religião, passando também pela produção artística que se construiu no Brasil”, acrescenta.

A estreia, no dia 6 de março, traz o vernissage da primeira exposição individual do artista visual Mauricio Franco. Recanto é uma leitura de memórias dos congás e famílias e traz o panteão africano, a força matriz que se misturou até chegar à umbanda; o Recanto Miraci das Selvas – conga cenário da infância do artista, protegido pelas mãos de sua mãe e alimento do universo que hoje se mistura a sua arte.

Ficha Técnica 

Produção Executiva: Laurenir Peniche
Produção: Laurenir Peniche e Pauli Banhos
Curadoria Exposição Recanto: Arthur Leandro e Isabela do Lago
Concepção Exposição Recanto: Arthur Leandro, Isabela do Lago e Laurenir Peniche

Programação

Dia 6, 19h

  • Abertura da exposição “Recanto”, de Mauricio Franco
  • Performance de Rosilene Cordeiro – Abertura dos trabalhos
  • Voz e batuque, com Jeferson Moraes e Maércio Monteiro.



Dia 13, 19h

  • Lançamento do documentário “Nós Quilombolas da Amazônia
    – produção audiovisual em parceria com a Fundação Palmares
  • Exposição “Recanto” de Mauricio Franco


Dia 20, 19h

  • Noite Negra” - Sarau de Poesia e Música Negra.
    Participação: poetas Antônio Moura e Nilson Oliveira.
    Músicos: Edelmiro Soares e Handerson Barboza
  • Exposição “Recanto” de Mauricio Franco


Dia 27 (Dia Mundial do Teatro), 19h

  • Teatro de bonecos  “A batalha” - com Jeferson Cecim, Juliana Medeiros e Mauricio Franco
  • Performance “Um Canto pra Oxum”- com Pauli Banhos, Pedro Olaia e Roberta Costa
  • Exposição “Recanto” de Mauricio Franco


Centro Cultural do Carmo
Praça do Carmo 40/48 | Cidade Velha
De 06 a 28 de março
Visitas: segunda a sexta, das 9h as 12h e 15h as 18h
aos sábados, das 09h as 13h \ Entrada Franca
Telefone: 91 3085 6177
facebook.com/culturadocarmo
culturadocarmo.com.br


— PROJETO CHORO NO PARÁ | OFICNA —

O projeto "Choro do Pará", realizado pela Fundação Cultural do Pará (FCP) recebe inscrições para quatro oficinas de música em Belém. São ofertadas aulas de cavaquinho, violão, percussão e instrumentos solo. O curso é gratuito.

As aulas começam no dia 6 de março, com aulas toda sexta e sábado, das 16h às 19h, no Centro de Experimentação e Pesquisa Artística e Cultural do Pará (antigo IAP). Não há limite de vagas. Os candidatos devem ter e saber tocar os instrumentos escolhidos.

A oficina inclui desde o conteúdo teórico até exercícios que orientam quanto à formação de cadência, harmonização e a adaptação de ritmos diferentes à moda do chorinho.

Os facilitadores, os músicos Diego Leite (violão de seis e sete cordas), Emilio Meninéia (percussão), Carlos “Buchecha” Meireles (cavaquinho) e Claude Lago (instrumentos solo), pretendem ensinar a diversidade do estilo.

“Queremos mexer com a questão dos ritmos, trazer essa diversidade do choro e mostrar que ele compõe a base de vários tipos de música, do baião à bossa nova”, diz Meninéia.

Como resultado das oficinas foi criada a Orquestra Choro do Pará, formada pelos alunos do projeto, somando quase 60 integrantes, e que sempre se apresenta no encerramento das aulas. Também integram a orquestra músicos como Adamor do Bandolim, Maurício Panzera e Paulinho Moura, músico e gerente de linguagem sonora da FCP.

Serviço

Inscrições para o projeto “Choro do Pará”, no

Documentos necessários:
carteira de identidade (até o dia da primeira aula).

. Não há limite de vagas. Informações pelo telefone:


Centro de Experimentação e Pesquisa
Artística e Cultural do Pará
(antigo IAP).
Praça Justo Chermont (lado da Basílica), 235
Início: 6/03 (sextas/ sábados), das 16h às 19h.
Contatos: 91 3184 9105
contato@diariocontemporaneo.com.br
premiodiario@gmail.com
diariocontemporaneo.com .br

Entrada Franca


— CURSO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS EM FOTOGRAFIA —

INSCRIÇÕES:

Comerciários: De 24 a 25 de fevereiro
Público Geral: De 26/02 a 03 de março

CURSO:

Dias 07, 08, 14 e 15 de março
Das 09h as 13h | Dia 14 (manhã e tarde)

SESC Boulevard
Castilho França, 522/523 - Campina
(em frente à Estação das Docas).
Informações: 91 3224 5305 / 5654 | 4005 9584
sescboulevard.blogspot.com
sescboulevard@gmail.com.br


Entrada Franca


— AS CIDADES DESCARADAS —

O Café Fotográfico, tradicional encontro mensal realizado pela Associação Fotoativa, retoma suas atividades em 2015, dando continuidade à parceria com o Sesc Boulevard. A artista visual Viviane Gueller, de Porto Alegre/RS, será a convidada do mês, com encontro marcado para o dia 03 de março, a partir das 18h, com entrada franca, no Cine-Teatro do Sesc Boulevard.

De passagem por Belém, Viviane compartilha parte de sua experiência de registro de imagens e de sons de pequenas ocorrências do cotidiano, apresentando seu novo projeto As Cidades Descaradas – mapeamento audiovisual e a partilha da experiência cotidiana, contemplado pelo Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais – 11ª edição.

A artista explica que busca “um olhar mais atento ao imediato, à familiaridade e estranheza da rotina das cidades e de seus locais de circulação cotidiana”. São situações banais que ela vem colecionando e a partir das quais ela propõe intervenções urbanas, devolvendo o trabalho para o lugar onde ele nasce.

Os trabalhos de Viviane já passaram por Belém em outras ocasiões, com Elemental, no 29º Salão Arte Pará (2010), e Rodapé, no 2º Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia (2011), cuja proposta era “explorar diferentes usos da fotografia, formas que não pressupunham a presença física do objeto fotográfico, buscando adesão através de outros meios de compartilhamento e circulação, em locais e situações onde se produzissem as pausas necessárias”.

Viviane Gueller é artista visual e jornalista. Bacharel em comunicação social, trabalhou em jornais, revistas, rádio, internet e assessoria de comunicação. Mestre em Poéticas Visuais no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012-2014), foi contemplada com diversos prêmios nacionais.

SESC Boulevard
Castilho França, 522/523 - Campina
( em frente à Estação das Docas).
Dia 03 de março (terça), às 18h
Informações: 91 3224 5305 / 5654 | 4005 9584
sescboulevard.blogspot.com
sescboulevard@gmail.com.br


Entrada Franca


— FOTOATIVA EM RESIDÊNCIA —

Estão abertas até 8 de março (domingo) as inscrições para o projeto Fotoativa em Residência – Dois de lá, dois de cá. O edital vai selecionar interessados em desenvolver atividades de criação artística em Belém. A iniciativa foi contemplada pelo Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais – 11ª Edição, da Fundação Nacional de Artes/Ministério da Cultura.

Serão escolhidos quatro artistas, dois paraenses ou residentes no Pará há mais de dois anos e dois de outros estados, para morar na capital paraense por 10 semanas. Os candidatos precisam ter como norteador de seus trabalhos a fotografia em diálogo com outras práticas, linguagens e pesquisas poéticas. O edital completo com as informações para realizar a inscrição está disponível no site da Fotoativa (www.fotoativa.org.br).

A residência ocorrerá entre 6 de abril e 6 de junho e está estruturada em três tipos de atividade: conversas sobre processos artísticos e ações externas com convidados; laboratório de criação e experimentação livre; oficinas e atividades educativas.

Ao término, haverá uma mostra coletiva composta de trabalhos ou processos desenvolvidos durante o programa, com abertura prevista para 13 de junho. A mostra ficará em cartaz durante 30 dias, encerrando com o lançamento de uma publicação virtual.

Seleção – Os artistas serão escolhidos por dois membros do Conselho Curatorial da Associação Fotoativa, sendo eles Armando Queiroz e Alexandre Sequeira, e outros dois membros da equipe gestora do projeto. Haverá duas etapas: avaliação de dossiê do candidato e entrevista.

Na primeira etapa serão selecionados até oito artistas para realização das entrevistas. A divulgação dos artistas pré-selecionados para entrevista ocorrerá no dia 13 de março. As entrevistas serão realizadas no dia 14 de março e a divulgação do resultado final com os nomes dos selecionados será no dia 16.

Sobre a Fotoativa – Desde 1984, a Fotoativa tem sido uma das principais fomentadoras do cenário cultural paraense, utilizando a fotografia como recurso reflexivo, experimental e agregador. Em 30 anos, envolveu um contingente significativo de pessoas de diversos segmentos e faixas etárias que passaram a constituir um movimento plural, com projetos baseados nos campos das artes visuais, do patrimônio histórico e da educação.

Hoje a Fotoativa se estrutura em três núcleos – Formação e Experimentação; Pesquisa e Documentação; Comunicação e Difusão – na intersecção dos quais a residência se inscreve com a proposta de investigar a diluição dos contornos formais da fotografia e sua abertura a outras linguagens e pesquisas poéticas.

A residência inaugura um novo braço de atuação da Fotoativa, que pretende estabelecer um programa continuado de diálogo com outros agentes nacionais, proporcionando uma estada mais estendida e atuante na cidade de Belém, aos interessados em ter uma vivência junto à Fotoativa.


Associação Fotoativa recebe inscrições para o projeto “Fotoativa em Residência – dois de lá, dois de cá” até 8 de março. Consulte edital completo no site www.fotoativa.org.br.

CRONOGRAMA
PROJETO FOTOATIVA EM RESIDÊNCIA DOIS DE LÁ, DOIS DE CÁ

Inscrições: até 8 de março de 2015
Seleção: dias 9, 10, 11 e 12 de março de 2015
Notificação dos selecionados para entrevista: até 13 de março de 2015
Entrevistas: 14 de março de 2015
Divulgação do resultado final: 16 de março de 2015
Prazo para assinatura do contrato: 20 de março de 2015
Chegada dos residentes de outras localidades: 30 de março a 05 de abril de 2015
Residência: 6 de abril a 6 de junho de 2015
Montagem da mostra coletiva: 08 a 12 de junho de 2015
Abertura da exposição e mesa-redonda: 13 de junho de 2015

Associação Fotoativa
Trav. Frutuoso Guimarães, 615 – Campina
Informações: 91 3225 2754 | 9 8226 4094
www.fotoativa.org.br | facebook.com/AssociacaoFotoativa


— VIII GOIAMUM AUDIOVISUAL —

Goiamum Audiovisual 2015

Com muita satisfação, o Goiamum Audiovisual anuncia a realização de sua oitava edição que acontecerá em 2015. Os trabalhos já foram iniciados e o desenho da programação está sendo construído com cuidado e com o objetivo principal de consolidar cada vez mais o festival como o espaço para as vivências e trocas de experiências entre artistas, coletivos, profissionais do audiovisual e estudantes do Rio Grande do Norte e de todo país.

O Goiamum abraça!

A simbologia do abraço traduz o espírito com que o Goiamum sempre compreendeu a sua importância dentro do audiovisual potiguar, e assim focará para integrar a participação dos realizadores e coletivos locais com vistas a avançar, por meio de seminários e oficinas, nos pontos necessários para aprimoramento e conhecimento cultural e profissional.

Agradecemos à Prefeitura Municipal de Natal que por meio de edital público da Fundação Capitania das Artes - FUNCARTE – EDITAL CINE NATAL possibilitará a realização do evento em razão de seu apoio financeiro. Esclarecemos também que o festival na sua oitava edição não pode ser realizado em 2014, pois, a liberação dos recursos do edital será neste primeiro semestre de 2015.

Regulamento

1. Data e Local

A CURTA GOIAMUM – Mostra Competitiva de Curtas Metragens de Natal e a DESENTOCA – Mostra Não Competitiva de Cinema de Natal, serão realizadas dentro da programação do 8º Goiamum Audiovisual, que por sua vez em maio de 2015 em Natal, Rio Grande do Norte e demais localidades, através de suas mostras itinerantes e virtuais.

2. Objetivo Geral

O CURTA GOIAMUM e a DESENTOCA têm o objetivo de incentivar a difusão, o intercâmbio, a formação de plateia e contribuição do desenvolvimento do audiovisual.

3. Inscrição

3.1 Curta Goiamum

Curtas metragens de até 30 minutos em qualquer gênero cinematográfico, formato de captação e temática, sendo produções realizadas no Brasil por brasileiros ou estrangeiros e no exterior por brasileiros, finalizadas a partir de 2013.

3.2 Desentoca

Filmes de qualquer duração, gênero, formato de captação e temática, sendo realizados no Rio Grande do Norte por potiguares, brasileiros ou estrangeiros e, fora do estado ou país por potiguares, finalizados em qualquer ano.

3.3 A Ficha de Inscrição e o Termo de Autorização são únicos para ambas as mostras, CURTA GOIAMUM e DESENTOCA, e as produções estaduais estarão automaticamente inscritas na DESENTOCA devido ao caráter de mapeamento da produção potiguar sendo facultativa a inscrição na CURTA GOIAMUM onde se pode optar pela participação no Programa Nacional ou Programa Estadual ou ainda em ambos. Para participar das duas mostras o filme potiguar precisa respeitar os critérios específicos de cada uma delas, como duração e ano de produção.

3.4 Período das inscrições: 25 de fevereiro a 25 de março de 2015.

3.5 O Regulamento e a Ficha de Inscrição se encontram em: goiamumaudiovisual.org.br

3.6 Inserir link para visualização online do filme inscrito na Ficha de Inscrição. Nesse link é necessário encontrar informações que possibilitem verificar sua origem, como créditos, sinopse ou ficha técnica. Os links precisam estar habilitados somente para visualização online.

3.7 A inscrição só será considerada finalizada após a corroboração do termo de autorização.

Mais detalhes sobre a inscrições:
goiamumaudiovisual.org.br



ARTES PLÁSTICAS
• ARTES PLÁSTICAS

— BOCA DE CENA | RUMA —


No ultimo dia deste fevereiro as volutas do Theatro da Paz
se transformam em ondas do rio-mar pelas mãos de
Ruma de Albuquerque.

A mostra de pinturas que inicia no sábado (28), na Elf galeria, foi concebida no interior da nossa maior casa de espetáculos, na paz de uma apresentação de música de câmara, quando baixava o Pano de Boca e o movimento das volutas e sua expressão barroca representaram no imaginário do artista as águas dos rios cortadas pelas vigilengas. Naquele momento surgiu o que o artista buscava, num verdadeiro encontro das artes com os signos que ele vinha trabalhando em sua pesquisa sobre os elementos presentes nas embarcações que cruzam os nossos rios.

A voluta é uma forma em espiral presente na arquitetura, segundo identifica a formação acadêmica do artista, e serve como objeto de adorno no arremate de colunas e de corrimões e, também, pode ser descrita por muitas voltas seguidas. Este elemento foi associado pelo artista ao movimento que se reproduz nas águas cortadas pelas embarcações amazônidas e imediatamente incorporado ao curioso processo pictórico que Ruma desenvolve. A partir de então, tornaram-se elementos essenciais na elaboração dos estudos, da ampliação do desenho, do preenchimento do espaço para criar volume, da designação de cores e do envelhecimento da pintura por meio de camadas superpostas, e posterior lixamento, que resulta na produção das telas apresentadas na exposição.

Com a incorporação das volutas na pintura a geometrização das telas adquiriu elegância, emoção, sofisticação e compõe com a simplicidade das marcas deixadas pela ação do tempo e das águas nas madeiras dos barcos, contrastes e harmonias de cores e texturas.

As volutas trouxeram, também, um ar de dramaticidade às pinturas, fazendo conviver no mesmo espaço o espetáculo que reside no interior do teatro, com o espetáculo que a natureza oferece, e que se vê a partir do encontro das ondas nos cascos dos barcos.

De tudo, a exposição lembra os versos de Fernando Pessoa (1):

Onda que, enrolada, tornas,
Pequena, ao mar que te trouxe
E ao recuar te transtornas
Como se o mar nada fosse.

A aproximação dos movimentos das águas com as volutas, aliada à transformação da noção de espaço, na perspectiva clássica, permite a coexistência de elementos que pareciam tão distantes do diálogo, mas que amadurecidos no pensar e no fazer de Ruma de Albuquerque, demonstram que ele avança profundamente no seu ofício e produz, com acréscimos, uma arte singular e de excelente qualidade. 

(1)  Poesias. Fernando Pessoa. Lisboa: Ática, 1942 (15ª ed. 1995).

Elf galeria
Av. Governador José Malcher
Vila Bolonha, 60 – Nazaré
Abertura p/ convidados: dia 28/02 (sábado), das 11h às 14h
Visitas até 28/03, de segunda a sexta, de 10 às 19h
e aos sábados, de 10 às 14h.


— SALVAGUARDAR PEDRAS | JOSÉ VIANA —

Exposição Registro do Presente abre na Casa das Onze Janelas

Na próxima quarta-feira, dia 25 de fevereiro, o Espaço Cultural Casa das Onze Janelas recebe a exposição Registro do Presente - a doação das Pedras ao Museu, de José Viana, com curadoria de Camila Fialho. Na ocasião, também será lançado o livro fotográfico que traz a narrativa processual do projeto, com tiragem limitada de apenas 20 unidades.

A exposição marca o ato de doação da obra S11D (ou projeto para Salvaguardar Pedras) ao acervo da Casa das Onze Janelas, através do Sistema Integrado de Museus do Estado do Pará.

Realizada em setembro de 2014 para o Salão Arte Pará, a obra consistiu na retirada de um pequeno conjunto de pedras com alta concentração de ferro, de áreas específicas da Floresta Nacional de Carajás, para transformá-las em uma instalação e, a seguir, doá-las a um acervo de arte.

A instalação agora será montada na Varanda da Casa das Onze Janelas, onde ficará aberta à visitação até o dia 29 de março de 2015.

O registro da ação também pode ser acessado no blog:
projetoparasalvaguardarpedras.tumblr.com

Casa das Onze Janelas
Praça Frei Caetano Brandão, s/n
Complexo Feliz Luzitânia – Cidade Velha
Data/horário: 25 de fevereiro, às 19h
Visitação: de 26 de fevereiro a 29 de março
De terças à sexta-feira das 10h às 18h
sábados, domingos e feriados das 10h às 14h


— A ARTE DA LEMBRANÇA —

A saudade em suas mais variadas formas e significados. Tendo como inspiração um dos sentimentos mais universais e inexplicáveis, a exposição A Arte da Lembrança – a Saudade na Fotografia Brasileira propõe um percurso iconográfico pelas obras – realizadas entre a década de 1930 e 2014 – de alguns dos mais representativos fotógrafos brasileiros. Com entrada gratuita, a exposição fica em cartaz, na sede do Itaú Cultural até 8 de março de 2015.

Mas quais relações a saudade pode manter com a fotografia brasileira contemporânea? Com curadoria de Diógenes Moura, a mostra pode ser considerada uma viagem por meio de registros que englobam temas pessoais e universais como as cidades e suas demolições; os objetos vazios à mercê da poeira do passado; a ausência de um ente querido, entre outras imagens congeladas no tempo.

Sobre esses registros Diógenes destaca: “Algo de nós está ali, contido na mancha fotográfica: um destino, um desejo, uma perda, uma palavra que pronunciada será incapaz de percorrer o caminho de volta, um suspiro, a garganta das coisas. Sintomas dos quais surgiria, extraído desde sua dormência, tudo o que existiu e não mais existe, presente e já passado, presente apesar de sua ausência”.

A exposição traz obras de 36 artistas de diversas regiões do Brasil – ou que no país desenvolveram seu trabalho. Imagens de cinco deles – Ademar Manarini, German Lorca, José Oiticica Filho, José Yalenti e Julio Agostinelli – integram o acervo de obras de arte do Itaú Unibanco, coleção de aproximadamente 12 mil itens que, gerida pelo Itaú Cultural, dá origem a uma série de mostras itinerantes, duas delas focadas na produção fotográfica nacional: Moderna para Sempre – Fotografia Modernista Brasileira na Coleção Itaú Cultural e Coleção Itaú Cultural de Fotografia Brasileira.

Além das fotografias que pertencem a esse acervo, a mostra conta com registros de nomes de artistas paraenses como Luiz Braga, Alberto Bitar, Alexandre Sequeira, Elza Lima, Irene Almeida, Walda Marques e Paula Sampaio.

A Arte da Lembrança
Avenida Paulista, 149 São Paulo SP
[Estação Brigadeiro do metrô]
Visitas até domingo 8 de março de 2015
terça a sexta, das 9h às 20h
[permanência até as 20h30]
sábado, domingo e feriado, das 11h às 20h
fone 11 2168 1777

pisos 1 e -1
[livre para todos os públicos, com exceção de parte do piso -1: classificação indicativa 12 anos]



TEATRO
DANÇA

— O GATO DE BOTAS —

O clássico O Gato de Botas de Charles Perroult influenciou gerações e consagrou-se na literatura infantil e no cinema para alegria das crianças de diferentes países do mundo.

O protagonista da obra é um gato muito ousado e esperto. Marquês de Carabás, o seu dono, é o filho mais novo de um velho moleiro que antes de morrer distribuiu entre seus três filhos os seus poucos haveres. Para o Marquês o velho deixou apenas um gato que aparentemente não iria lhe servi para nada. Porém, ao descobri que o gato fala João fica surpreso e perplexo.

Certa vez o gato disse ao Marquês que pulasse no lago e quando a carruagem do rei passasse começasse a gritar. Sem entender muita coisa o Marquês realiza o pedido. E quando o rei passa na carruagem com sua filha, o gato e Marquês começam a gritar desesperadamente por socorro. Reconhecendo o amigo o rei para e pede que seus serviçais salvem o dono do gato. Além disso, dá-lhe roupas novas e ele fica parecendo um príncipe.

Marquês apaixona-se pela filha do rei e troca olhares melosos com ela. O Gato de Botas corre na frente da carruagem e chega ao castelo da feiticeira, no qual engana a tirana malvada fazendo-o transformar-se em um pequeno camundongo que, por sua vez, é engolido pelo gato.

Os serviçais do castelo, agora pertencente ao gato e ao Marquês, recepcionam o rei, sua filha e seus serviçais com um maravilhoso banquete. Na ocasião o rei admira e parabeniza o Marquês pela riqueza e beleza de suas propriedades. O rei também concede a mão da filha em casamento ao Marquês que agora se tornara rico por esperteza do então gato de botas.

Ficha Técnica:

Miller Alcântara – Gato de Botas
Gabriela Nepomuceno - Feiticeira
Elyzandra Cristina - Princesa
Isabelly Cristina - Camponesa
Valéria Gabriele - Camponesa
Isaac Serrão - Rei
Bruno Ferreira - Cocheiro
Douglas Mourão (Direção)
Jorge Miranda (Direção)

Teatro Margarida Schivasappa - CENTUR
Av. Gentil Bittencourt, 650
Dia 12 de março (quinta) as 18h,
Ingressos: R$ 10, 00 (estudantes c/ carteira: R$ 5,00)
Informações: 91 8269 4696
facebook.com/Corifeusbelem


— CRUELDADE —

A Cia. Cínicos de Teatro convida para o espetáculo CRUELDADE, levando ao palco a vida de Antonin Artaud; gênio, louco e irrequieto que contribuiu para revolucionar o teatro contemporâneo com sua poética do Teatro da Crueldade. Resultado do trabalho de pesquisa e experimentação cênica da Cia., a montagem é atravessada pelo ritual, morte, loucura e a poética de Artaud.

A peça é estrelada atriz Paula Barrroso com direção geral de Robert Rodrigues. A direção musical é assinada por Thiago Paladino. Como contrarregra e assistente de palco, Lorena Prazeres; e na produção do Espetáculo, Ilana Rodrigues.


Cia. Cínicos de Teatro
Av. Generalíssimo Deodoro, 511
(entre Antônio Barreto e Domingos Marreiros)
Dias: 13 e 14 de março (sexta/sábado), 19h
Ingressos a R$ 20 c/ meia entrada para estudantes
Telefones: 91 983761077 | 981203335
ciacinicosdeteatro.blogspot.com.br



MÚSICA
MÚSICA

— CANTO CHORADO | CHARME DO CHORO & LUCINHA BASTOS —

O grupo O Charme do Choro e a cantora Lucinha Bastos estarão neste sábado, dia 07 março, no Teatro Margarida Schivasappa, às 20h, apresentando o show "Canto Chorado".

Canto Chorado” é o título de uma composição de Billy Blanco, que fará parte do repertório deste que pretende ser um apanhado de grandes nomes de nossa história musical: Waldemar Henrique, Paulo André Barata, Ruy Barata, Paulinho Moura, Dudu Neves, Luiz Pardal, Edyr Proença, Almino Henrique, Nego Nelson, Vital Lima entre outros grandes compositores que estarão presentes neste trabalho.

Lucinha Bastos nasceu em Belém e já com sete anos de idade, subia ao palco para pequenas participações nos shows da banda de seu pai, o músico Luciano Bastos, hoje Sayonara Show Band, que já festejou 47 anos animando os salões do Pará e de diversos outros estados brasileiros. Seu repertório é inspirado em grandes compositores de MPB, além da Música Popular Paraense.

O Charme do Choro. Um grupo de choro formado somente por mulheres é algo que surpreende logo de cara. Isso porque durante muito tempo o choro foi considerado um gênero musical predominantemente masculino e, principalmente, pouco ligado aos jovens. Mas O Charme do Choro mostra que essa história pode ser bem diferente e tem conquistado o público em suas apresentações.
Originado a partir do projeto Choro do Pará, iniciada no ano de 2006, o sexteto é constituído por Jade Moraes, Bandolim e Violino, Dulci Cunha na Flauta; Juçara Dantas, Violão; Camila Alves no Violão 7 cordas; Carla Cabral no Cavaco e Rafaela Bittencourt no Pandeiro. O Charme do Choro tem nome sugerido pelo violonista e um dos idealizadores do projeto, o músico e arquiteto Paulinho Moura.

Teatro Margarida Schivasappa - CENTUR
Av. Gentil Bittencourt, 650
Dia 07 de março (sábado), às 20h,
Ingressos: R$ 20, 00 (na bilheteria)
Informações: 3202.4317 /81231884



OUTROS •
EVENTOS
• OUTROS

— PARA FAZER PAPEL DE PALHAÇO | OFICINA —

Nesta oficina os participantes vivenciam na prática conceitos desta linguagem, conhecem técnicas de treinamento, como disponibilidade para o jogo, cascataria e comédia física. Indicado tanto para iniciantes como para iniciados, esta oficina propõe a construção coletiva de um espaço favorável e acolhedor à expressividade e criatividade dos indivíduos.

Ricardo A. Gadelha

Ricardo Gadelha é ator, palhaço, empreendedor e produtor cultural, eucador e mediador de leitura. Carioca de Niterói, tem bacharel em Artes Cênicas pela UNIRIO e Licenciado em Educação Artística pela Universidade Candido Mendes - UCAM.

Atua como arte-educador em parceria com diversas instituições culturais e de ensino, condensando a experiência de seus 15 anos de carreira profissional nas artes em cursos, palestras e oficinas como "Pra Fazer Papel de Palhaço" (palhaçaria) , "Pra Subir Na Vida" (perna de pau) e "Papo de Palhaço – uma conversa pra quem leva a vida a sério" (palhaçaria).

Realizou diversos trabalhos, entre os quais destacam-se:

Criador e ator no Coletivo PernAlta e coordenador da Oficina Pernas Voadoras (2014). É um dos 80 homens azuis do Blue Man Group, desde que foi selecionado para participar do projeto de residência artística na sede do grupo (NY), no qual realizou todo o programa de treinamento e integrou o elenco oficial dos shows nas cidades de Boston e Nova Iorque. Essa companhia tem mais de vinte anos de história de absoluto sucesso de público e crítica em diversos países (www.bluemangroup.com.br) (desde 2013).

Criador, gestor e palhaço do espetáculo “TRICICLO” dirigido por Márcio Libar (2009-2011). Prêmio de Melhor Espetáculo pelo Juri Especializado do 8º FIL - Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens 2010; Prêmio Zilka Salaberry 2009 (categoria Melhor Música); e Prêmio FUNARTE Artes Cênicas na Rua 2009.

21 99492 0579 | 21 2558 3029
negogadelha@yahoo.com.br

Casa dos Palhaços
Travessa Piedade, 533
(esquina da rua Tiradentes – Reduto)
De 03 a 07 de março de 2015, das 20h às 23h
Inscrições a partir do dia 25/02,
das 15h às 19h, na Casa dos Palhaços
Investimento: R$ 50,00 (cinquenta reais)
21 99492 0579 | 21 2558 3029
negogadelha@yahoo.com.br


• Oficina para Iniciados e Iniciantes •


— DE OLHOS VENDADOS —

A Associação Fotoativa abre seu calendário de formação de 2015 com a oficina De Olhos Vendados – iniciação à fotografia, ministrada por Miguel Chikaoka. Entre os meses de fevereiro e abril, serão duas turmas em atividade, uma às terças e quintas, e outra aos sábados.

Segundo Miguel Chikaoka, fotógrafo e educador premiado em 2012 com a Ordem do Mérito Cultural pelo Ministério da Cultura, “a proposta da oficina é articular o aprendizado e a prática da fotografia através de experimentos inspirados na leitura da gênese do processo de produção de imagens”. A Luz, matéria prima de seu trabalho poético e pedagógico, é também tema central da atividades da Instituição em 2015, sugerido pela Organização das Nações Unidas, com o Ano Internacional da Luz.
Com carga horária de 48 horas, divididas em dois meses, a oficina de Miguel Chikaoka, uma das mais procuradas no país, integra vivências que envolvem práticas de construção e uso de dispositivos de visualização e captura de imagens, jogos e exercícios sensoriais, expedições e rodas de conversa. O objetivo da oficina é estimular o exercício do pensamento crítico-criativo sobre as possibilidades do fazer fotográfico e seus desdobramentos nas mais diversas áreas do conhecimento.

Miguel Chikaoka é de Registro-SP, vive e trabalha em Belém desde 1980, onde idealizou os projetos de criação da Associação Fotoativa e Agência Kamara Kó Fotografias. Suas obras transitam entre imagens, instalações e objetos de caráter conceitual, pautados na experiência de religação dos sentidos. Participou de diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Em 2012, recebeu o Prêmio Brasil de Fotografia e a Comenda da Ordem do Mérito Cultural – MinC por sua contribuição à cultura brasileira.

Turma 1: terças e quintas, 19h30 às 21h30 – 24 de fevereiro a 23 de abril de 2015

Turma 2: sábados, 14h às 18h – 28 de fevereiro a 25 de abril de 2015
Carga Horária: 48 horas


Oficina De Olhos Vendados
Trav. Frutuoso Guimarães, 611
Campina, Belem Do Pará, Para, Brazil
facebook.com/kamarakogaleria/info
Telefone: 91 3261 4809

— BELÉM AOS 80 —
http://youtu.be/7tQAyCFn-Mo

 

No início da década de 1980 havia certa efervescência cultural, fruto de um processo político liberalizante depois dos anos de chumbo que vivemos, e uma grande ansiedade por mudanças. Surgiram iniciativas na área artística que contribuíram para um novo olhar sobre nossas idéias, costumes, valores sociais e morais. Nascia uma grande cumplicidade entre as pessoas e uma participação viva em qualquer evento que trouxesse o adjetivo “arte” em seu script. A inquietação era tanta que movimentou desde grupos alternativos, que romperam paradigmas na forma de apresentar seus trabalhos, até a explosão do talento da criação artística que delineou e legitimou toda a arte contemporânea produzida em nossa cidade posteriormente. Resumidamente, os anos 1980 vão ser lembrados como um marco na vida de todos aqueles que o vivenciaram como criadores ou participantes ativos dessa geração e como herdeiros de uma década que mudou toda uma história de viver e fazer arte em nossa região. "Belém Aos 80" é uma visita a alguns personagens e movimentos que marcaram esses anos na cidade, registrando momentos de exaltação sócio-cultural da época.

• • • FICHA TÉCNICA • • •

  • Direção e Roteiro:
    Alan Kardek Guimaraes

  • Argumento:
    Januario Guedes

    Celso Eluan Lima

  • Fotografia e Câmera:
    Diógenes Carvalho Leal