O Cultura Pará criou a Agenda da Semana com o objetivo de publicar neste espaço as manifestações artísticas de nossa região seguindo a mesma linha de trabalho proposta pelo site. Festas, eventos em bares e outras locações em que a arte não seja objeto prioritário, não serão contemplados. Os interessados deverão enviar a programação, acompanhada de release e uma imagem representativa, até segunda-feira (às 19h) de cada semana. Esta agenda tem o apoio da Sol Informática.

DESTAQUE •
DESTAQUE DESTAQUE

— PRÊMIO DE POESIA BELÉM DO GRÃO PARÁ 2015 —

O PRÊMIO DE POESIA BELÉM DO GRÃO PARÁ 2015 é promovido pela A Senda Produções, e objetiva premiar livros inéditos na categoria POESIA, escritos em língua portuguesa, por autores paraenses ou residentes no estado do Pará.

INSCRIÇÕES:

Cada concorrente poderá participar com apenas uma obra.

O texto inscrito deverá ser inédito, ou seja, nunca ter sido publicado. Entende-se por publicação o processo de edição de uma obra literária e sua distribuição em livrarias ou pela internet, ainda que as mesmas não possuam número de registro no ISBN.

O original deverá ser enviado via internet, através da ficha de inscrição online, disponível no site poesiagraopara.wordpress.com.

Na primeira página (capa) do texto devem constar o nome do livro e o pseudônimo do autor.

Para efetuar sua inscrição online, o participante deverá
acessar o site do Prêmio: poesiagraopara.wordpress.com

Preencher o formulário de inscrição online com as informações pedidas e em seguida enviar o texto do livro no formato .PDF em anexo para o e-mail: poesiagraopara@gmail.com

A obra enviada deverá ter no máximo 100 páginas.

As inscrições deverão ser feitas entre 30 de março à 30 de julho de 2015.

JULGAMENTO

As obras inscritas serão analisadas por Comissão Julgadora composta por escritores, especialistas em literatura e críticos literários, indicados pela produtora.

A comissão julgadora final atribuirá o Prêmio a uma única obra e indicará também o segundo e terceiro colocados.

O único critério para seleção das obras vencedoras é o mérito literário, cabendo ao júri final a decisão, que será soberana e não suscetível de apelo.

 

PREMIAÇÃO

O resultado do PRÊMIO DE POESIA BELÉM DO GRÃO PARÁ 2015 será divulgado em setembro de 2015.

O vencedor terá sua obra publicada com uma tiragem inicial de 1.000 exemplares e recebera a premiação em dinheiro no valor de R$ 2.000,00 (DOIS MIL REAIS).

O segundo e terceiro colocados receberão respectivamente um notebook e um tablet.
A cerimônia de premiação será realizada em Belém, com data prevista para agosto de 2015.

O autor vencedor poderá participar de lançamentos da obra em eventos literários promovidos pela produtora, que assumirá os custos de locomoção e estadia do escritor.

O primeiro, segundo e terceiro colocados receberão um certificado emitido pela produtora, atestando a qualidade da obra para possível análise e publicação no mercado editorial.

DISPOSIÇÕES GERAIS

As inscrições para o PRÊMIO DE POESIA BELÉM DO GRÃO PARÁ 2015 são gratuitas.
Entende-se por poesia um texto ficcional poético divido em versos.

É vetada a participação de funcionários, estagiários e parentes em até segundo grau de funcionários da A Senda Produções, bem como de todos os envolvidos no processo de julgamento do concurso.

Será de responsabilidade do autor o compromisso de que o texto é inédito. Caso seja constatada sua publicação, a inscrição será anulada.

Não serão aceitas inscrições de obras póstumas. A coautoria não será aceita.

Será permitida a inscrição de obra cuja pequena parcela do conteúdo tenha sido publicada em blogs pessoais ou revistas eletrônicas, desde que não ultrapasse 25% do total da obra.

Ao se inscrever no o PRÊMIO DE POESIA BELÉM DO GRÃO PARÁ 2015, o candidato estará automaticamente concordando que conhece e aceita integralmente os termos deste regulamento.

O e-mail de confirmação citado no item 5 das inscrições não será enviado nas seguintes situações:

1 ) Caso o participante não tenha informado e-mail,

2 ) Caso o participante tenha informado um e-mail inválido e

3 ) Caso o e-mail do usuário possua filtro anti-spam.

Obs.: Caso deseje receber mensagem de confirmação, caberá ao participante informar uma conta de e-mail válida, em plenas condições de funcionamento e sem nenhum bloqueio (firewall, anti-spam, proxy ou outros)

Incrições até 30 de julho de 2015


— MAX MARTINS | POETA E ARTISTA PLÁSTICO —

Tese de doutorado do poeta paraense Paulo Vieira em pauta, em uma mesa redonda a se realizar no dia 07 de abril (terça-feira), no auditório da SIBi--USP, em São Paulo. onde haverá apresentação dos filmes de James Bogan: T-Shirt Cantata e The Hammok Variations, seguidos da mesa-redonda com o próprio James Bogan (Missouri University of Science and Technology) Diógenes Leal (Casa de Estudos Germânicos - UFPA) e Paulo Vieira (pós-doutoramento IEB_USP). Mediação será feita por Telê Ancona Lopez (IEB-USP).

O poeta paraense, brasileiro, Max Martins (1926 2009), produziu 48 diários entre 1982 e 1999, cadernos que fundem, por meio da colagem, sua criação poética à plástica, configurando um universo de apropriações de imagens verbais e não verbais que se ligam à palavra, na literatura, e aos eventos do cotidiano, nas representações plásticas. Na esteira do conteúdo dos diários em cópias facsímiladas, os capítulos desta tese abarcam as linhas de força Natureza, Amizade e Erotismo aplicando-se principalmente à análise e à interpretação das invenções plásticas resultantes dessa confluência. O estudo detido de Max Martins diarista, poeta e artista plástico revela a transfiguração de sua vida operada em seus registros dos dias, na poesia, em desenhos, pinturas e colagens.

Paulo Vieira

Nasceu no Estado do Pará, na Amazônia. Estreou em 2004 com o livro de poesia Infância Vegetal, ao que se seguiram, Orquídeas Anarquistas (2007), Livro Para Pescaria com Linha de Horizonte (tinta, braile, ilustrado por D'Arcy Albuquerque) em 2009, Livro Para Distração na Tragédia e Retruque Retoque (disco-livro com Henry Burnnet), 2010. Colaborou com a revista Poesia Sempre da Biblioteca Nacional - RJ, teve poemas selecionados por Benedito Nunes para a Revista de Estudos Avançados da USP, entre outras impressas e digitais. Participa da coleção Roteiro da Poesia Brasileira - Volume Anos 2000. Recebeu dus vezes o Prêmio IAP de Literatura, foi destaque no 4º Prêmio Literário da Casa de Cultura Mário Quintana, venceu a primeira edição do Prêmio Dalcídio Jurandir de Literatura, na categoria crônica e ganhou a Bolsa Funarte de Criação Literária, como apoio para escrever o o livro Retruque. Atualmente mora em São Paulo.


Auditório da do SIBi-USP
Edifício Brasiliana | Praça do Relógio Solar, 342
Dia 07 fde abril (terça-feira), das 15h as 18h


— ENTRE O RUMOR E O SILÊNCIO | MARCÍLIO COSTA —

O poeta e artista visual Marcílio Costa, estará abrindo sua exposição "entre o rumor e o silêncio", na Galeria Theodoro Braga, no dia 09 de abril de 2015, às 19h. Abaixo o texto apuradíssimo de Marise Mokarzel, curadora da exposição.

Uma substância inerente à arte e não uma exclusividade da palavra”, assim Marcílio Costa define a poesia, pensando-a a partir de Octavio Paz em O Arco e a Lira. Poeta, artista visual locomove-se em um universo sem margens, ou acredita que a margem “é o limite entre uma coisa e outra, é a separação mas também o encontro entre essas coisas, é a zona incerta que é mar e terra ao mesmo tempo. Por isso transita entre imensidões, mergulha e flutua por áreas distintas, permitindo-se atravessar por seres diversos. Um único papel não é suficiente, viver é mais, implica em voltar-se para si mesmo sem deixar de ver o outro e inserir-se no mundo sendo capaz de ir além das margens".

Entre o rumor e o silêncio situa a sua arte que emerge do fluxo de seus movimentos, da fatura que não distingue o poeta do artista visual. Assim caminha-se pelas obras, amalgamados às palavras e às imagens, envoltos em sentimentos e incertezas, na inquietude da ação poética que desestabiliza, faz pensar e sentir. Para Marcílio, o que importa é o cotidiano em seu incessante percurso e se formos além da superfície da cena urbana perceberemos “a insinuação de uma substância, de uma potência poética que, sutilmente se desprende.” A obra de Marcílio Costa se constrói nessa sutil substância que revela o potente estado poético da vida. Perspicaz, como Walt Whitman, segue o som das palavras bafejadas pela sua voz, os contornos insinuados pelas suas imagens.

Marisa Mokarzel


Galeria Theodoro Braga 
Av. Gentil Bittencourt, 650 — CENTUR
De 09 a 30 de abril de 2015
De segunda a sexta-feira, das 9h as 19h
Mais informações: 91 3202 4313


— KM 35 | EMANUEL FRANCO —

O ertista plástico Emanuel Franco, abre nesta terça-feira, dia 31 de março, as 19h, no Centro Cultural Sesc Boulevard, em comemoração aos seus 35 anos de produção artística, a exposição "KM 35".

"KM 35" é uma exposição individual de objetos e instalações visuais, produzidos com mantas e refugos de lonas enceradas usadas como proteção de cargas nas estradas e rodovias brasileiras. As obras são inéditas e foram produzidas com exclusividade para a citada mostra."Km 35" é a décima segunda exposição individual do artista que completa este ano 35 anos de produção no área das artes plásticas e visuais.

Emanuel Franco iniciou sua trajetória artística em 1979, participando de mostras coletivas em Belém e outros centros do País, entre elas Galeria Ângelus do Teatro da Paz / Belém-PA (1984 ); Salão Paranaense /Curitiba-PR (1986 e 1996); Projeto Arte Amazônia / Instituto Goethi-Belém/Alemanha (1992); MAC /SP - Premio Gunther (1993); Arte Belém-Brasil - Galerias Im Brecht - Haus, Helmut Schuster, VOXXX e Artco / Alemanha; Salão Arte Pará (1984 a 2005); Bienal de Santos (2004); Mostra João Turin /Curitiba-PR (2003 e 2005). Artista premiado em Salões de Arte de Belém e de outras cidades brasileiras. Artista participante do Projeto Rede Nacional de Artes Visuais/ FUNARTE-MINC (2005 e 2006). Curador independente.



SESC Boulevard
Castilho França, 522/523 - Campina
( em frente à Estação das Docas).
Dia 31 de março (terça), às 18h
Informações: 91 3224 5305 / 5654 | 4005 9584
sescboulevard.blogspot.com
sescboulevard@gmail.com.br


Entrada Franca



— SALVE O CASARÃO DO BONECO | OFICINAS —

O Casarão do Boneco é um espaço cultural, sede do grupo In Bust- Teatro com Bonecos, no qual se desenvolvem ensaios, apresentações, oficinas, exposições, reuniões e encontros de produção artístico-culturais, todos realizados de maneira colaborativa e autogestionada junto a parceiros dos grupos e coletivos cênicos: Produtores Criativos, Projeto Vertigem, Vida de Circo, Causo Companhia, Grupo de Teatro Universitário, Coletivo Mia Sombra, Companhia de Teatro Madalenas, Coletivo de Animadores de Caixas e o Pirão Coletivo que atuam na cidade de Belém.

Há 14 anos é referência para atividades culturais de grupos da cidade de Belém e de outros Estados.
Em 2015, este casarão centenário inicia uma campanha para arrecadar fundos para sua reforma. Ao longo do ano serão realizados: eventos trimestrais, projeto de financiamento coletivo via CATARSE e temporadas dos grupos ocupantes.

Convidamos a sociedade para colaborar com a manutenção dessas atividades. Participe dos eventos, assista aos espetáculos, freqüente as oficinas e a exposição, realize com esses coletivos a existência do Casarão do Boneco!


Casarão do Boneco
Av. 16 de Novembro, 815
(próx. a Praça Amazonas)
Lançamento: 11/04, as 17h
Inscrições: salvecasarao@inbust.com.br


— PINHOLE DAY BELÉM • 2015 —

Exercícios de Liberdade” é o tema da 14ª edição do Pinhole Day Belém, projeto que celebra anualmente a prática da fotografia artesanal, concatenada a diversas cidades no mundo inteiro.

Em 2015, com um programa diverso que engloba oficinas, intervenções, jornadas fotográficas, mostras e debates, o projeto acontece entre os dias 7 e 29 de abril, através da co-realização da Associação Fotoativa, o Coletivo Olhar Analógico e o Espaço Casulo Cultural.

Ao longo do mês de abril, serão realizadas quatro oficinas, que seguem com pré-inscrições abertas, sendo as três primeiras ofertadas pela Fotoativa e a última pelo Espaço Casulo Cultural.

O PINHOLE LAB será conduzido pelos artistas Cinthya Marques e Allan Maués. É um laboratório destinado a discutir as possibilidades da construção de ensaios e narrativas visuais a partir da construção de câmaras pinhole em formato de filme 35mm (pinlux).

A oficina PINHOLE LIVRE será conduzida por Miguel Chikaoka, com a proposta de investigar as possibilidades da fotografia artesanal, a partir de leituras imersivas das bases científicas e conceituais do processo, para, a seguir, desdobrar em experimentações e construções de novos dispositivos fotográficos.

Os Exercícios de Conversação: fotografia artesanal, educação e comunicação visam preparar a equipe de trabalho, de até 30 pessoas, para a 14ª Jornada Pinhole Day Belém. A proposta é baseada no entendimento de que o projeto é parte de um grande laboratório criativo e educativo.

No Espaço Casulo Cultural, durante todo o dia 25 de abril, a artista e educadora Renata Aguiar ministra a oficina Pinhole Digital – Retrato e identidade, partindo da técnica pinhole em câmeras digitais, aplicada na construção de retratos fotográficos que investiguem as questões de identidade.

O Coletivo Olhar Analógico participa do evento este ano, com a ideia principal de ocupar espaços públicos. O grupo vai produzir todo material da exposição, utilizando a técnica de fotografia artesanal, nos locais onde as obras ficarão expostas.

A culminância do projeto acontece no último domingo do mês de abril, durante a Jornada Pinhole Day Belém, que anualmente reúne um público diverso e conta com a participação de crianças, famílias, estudantes, moradores, vizinhos e amigos fotoativistas. Em 2015, a Jornada estará de volta ao Casarão da Fotoativa que abrirá suas portas no dia 26 de abril, a partir das 8h da manhã.

Mais detalhes sobre inscrições e participações nas oficinas,
no site da Fotoativa em: fotoativa.org.br/?p=5335



fotoativa.org.br/?p=5335



— VII SALÃO DE HUMOR DA AMAZÔNIA —

VII Festival Internacional De Humor da Amazônia - 2015

R E G U L A M E N T O

O VII Festival Internacional De Humor da Amazônia insere-se no calendário de eventos de humor do Brasil e do mundo, com o objetivo de estimular e divulgar a produção dos humoristas gráficos. Será realizado em 2015 , no período de 30 de maio a 06 de junho, no Hangar – Centro de Convenções da Amazônia, Belém- Pará-Brasil, dentro da programação da XIX Feira Pan Amazônica do Livro.

Modalidades e Seleção

Tema A:
Liberdade de expressão–Charge/Cartum.
90 trabalhos serão selecionados

Tema B:
Caricaturas- Homenageados 6 Cartunistas franceses
( Siné, Plantu, Georges Wolinski , Jean Cabut - o Cabo,
Stephane Charbonnier - o Charb e Tignous) :
30 trabalhos serão selecionados

Inscrições: de 19 de março a 12 de maio de 2015.
Seleção dos trabalhos: 15 de maio de 2015

O tema Liberdade de Expressão é vasto é pode proporcionar tanto na Charge como no Cartum, uma gama de interpretações desde a relação dos homens nos primódios do mundo até os nossos dias ( artistas, escritores, gravadores, professores, chefes, comunicadores, etc.). Criatividade e bom humor é o que desejamos a todos os participantes

Serão aceitos trabalhos digitalizados ou elaborados em computador, 300 dpi, formato 30 x 40 cm, modo de cor RGB, jpg (qualidade alta ou média) obedecendo ao limite máximo de 1,0 MB. Os trabalhos terão que ser inéditos.

Preencher a ficha de inscrição com todos os dados do participante: nome completo, nome artístico, endereço completo com CEP, fones, email, RG, CPF ( números de documentos de identidade) , dados bancários, títulos das obras se tiver, ano de produção, anexar juntamente com as obras e enviar para o email: humorecologico@gmail.com

a) Cada participante poderá submeter ao concurso no máximo 02 (dois) trabalhos por modalidades.

b) Podem participar artistas e realizadores de qualquer nacionalidade

As cópias dos trabalhos selecionados farão parte do acervo do Festival de Humor da Amazônia. Poderão participar de mostras itinerantes, divulgação nas mídias impressa, televisada e eletrônica. Ao participar do concurso, o artista estará concordando com as regras do regulamento.

Premiação
Primeiro Lugar Charge/Cartum: R$ 3.000,00
Duas Menções Honrosas.

Primeiro Lugar em Caricatura: R$ 2.000,00
Duas Menções Honrosas.

Ficha de Inscrição:
brazilcartoon.com/noticias/internacionais/757


— CASA DAS ARTES | BOLSAS ARTÍSTICAS —

Inscrições para Bolsas Artísticas foram prorrogadas

O prazo para inscrições para a Bolsa de Criação, Experimentação, Pesquisa e Divulgação Artística 2015 foi prorrogado para o dia 22 de abril de 2015. O concurso oferece 30 bolsas no valor de R$ 18 mil cada, distribuídas igualmente entre as artes cênicas e musicais, plásticas e audiovisuais, literárias e de expressão de identidade, além de linguagens derivadas destas, como moda, design, circo, gastronomia, entre outras. As inscrições são gratuitas.

Esta é a 14ª edição do incentivo para artistas e produtores locais, cujo objetivo é aprimorar e fortalecer a produção artística do Estado. As bolsas são destinadas a todas as formas de manifestação artística, sejam elas ligadas à cultura popular, erudita ou de identidade. Por meio deste programa, a Fundação Cultural do Pará (FCP) vai investir R$ 540 mil em projetos culturais em todo o Estado.

Das bolsas ofertadas, 50% estão destinadas a projetos desenvolvidos na capital, 40% para o interior do estado e 10% reservadas a candidatos portadores de necessidades especiais. É fundamental que o projeto inscrito seja realizado no Pará. As inscrições devem ser feitas com o uso de pseudônimos, de forma a garantir a idoneidade do certame.

O edital contendo todas as informações sobre prazos de inscrição, desembolso de parcelas e seleção dos projetos, assim como formulário de apresentação, descrições a respeito das categorias e formas de pesquisa, está disponível no site da FCP (www.fcp.pa.gov.br). A entrega dos documentos e da ficha de inscrição deve ser feita na Casa das Artes (Antigo IAP).

Casa das Artes (antigo IAP)
Praça Justo Chermont, 236, ao lado da Basílica
Mais informações: 91 3202 4391 (Ascom/FCP)
Site: www.fcp.pa.gov.br



ARTES PLÁSTICAS
• ARTES PLÁSTICAS

— STREET RIVER | SEBÁ TAPAJÓS —

Sebastião Tatapajós Júnior, mais conhecido no país, como Sebá, artistas do graffiti que vem fazendo da Amazônia um atelier a céu aberto e, mais especificamente, da ilha o Combú, sua galeria fluvial. Carioca, filho do conceituado compositor e violonista paraense, Sebastião Tapajós, ele mostra parte de seu projeto “Street River”, a partir de hoje, na galeria de arte do CCBEU, a partir das 19h, com direito a pocket show que traz além do pai, a participação da cantora Lia Sophia.

Paisagem amazônica, cultura indígena e ribeirinha. A exposição “Street River”, na verdade uma instalação, traz para dentro de quatro paredes a imensidão cultural da região, repleta de cores que com capricho marcam casas e barcos. Ousada, leve e didática, a mostra se utiliza da plataforma rio-floresta, barco-palafita, para alcançar um reconhecimento que vai além de um conceito artístico.

Estamos rodeados por esse riozão lindo e, em Santarém, que considero minha terra natal, isso é muito mais presente ainda, e acho que as ideias surgem naturalmente, mas que o homem adentra na floresta amazônica muitas vezes de forma agressiva”, comenta.

Sebá pretende com esse projeto agregar ao olhar do mundo, a realidade indígena e ribeirinha nos tempos atuais e, em paralelo, construir diálogos com estas comunidades. “Quero ensinar técnicas de desenho, história da arte, graffiti e pintura para fomentar a cultura local e o turismo, propondo uma das primeiras se não a primeira galeria de “streetart fluvial” do mundo”, conclui.

Saber mais: 
holofotevirtual.blogspot.com.br/…/seba-mostra-graffiti-embe…


Galeria de Artes do CCBEU 
Travessa Padre Eutíquio, 1309
Em exposição até 07 de abril
Segunda à sexta de 14h às 19h30
sábado de 9h às 13h
Informações: 91 3221 6100
www.ccbeu.com.br



TEATRO
DANÇA •
CINEMA

— ANJOS SOBRE BERLIM | NANDO LIMA —

Filme da década de 1990 de Nando Lima une cinema e teatro em abordagem inovadora

A transição da película para a fita magnética ocorrida nos anos 1980 não foi apenas uma mudança de suporte e sim de poética e estética. A versatilidade das fitas magnéticas (VHS/Umatic) na captura de imagens em movimento, edição e incorporação de efeitos, como o Kroma Key, possibilitou uma geração de realizadores a experimentar o cinema em uma nova plataforma. Há 24 anos um grupo de teatro se reuniu para gravar um filme que seria parte integrante de uma peça de teatro, sob a direção e texto de Nando Lima, as gravações aconteceram em 1991 de forma colaborativa, com equipamentos e ilha de edição emprestados ou cedidos por curtíssimos períodos, e uma vontade enorme de criar. A obra hoje é o mais importante documento audiovisual dos anos 1990 em Belém.

O filme “Anjos sobre Berlim” (1991, de Nando Lima) é o filme de estreia do Cineclube da Escola de Teatro e Dança que tem como objetivo discutir as relações e interseções do cinema com as artes cênicas e que tem na obra de Nando Lima um marco no audiovisual e no teatro paraense. “era uma coisa complemente independente e experimental (...) todas as coisas que a gente estava vivendo entraram, a gente queria falar disso. Um espetáculo que começava com 40 minutos de vídeo, foi pensado e montado para o Schivasappa. Era passado em cinco televisões ao mesmo tempo.”

O professor do ICA/ ETDUFPA e coordenador do Cineclube Ramiro Quaresma diz sobre Anjos: “na equipe técnica e artística de Anjos estão nomes importantes da arte paraense como Anibal Pacha, Leo Bitar, Alberto Silva Neto e Oriana Bitar em início de carreira, e foram todos colaboradores artísticos do filme, onde o texto, a música e as atuações carregam uma carga de memória de um período que precisa ser mais pesquisado e debatido.” Nando Lima e outros integrantes de Anjos participaram de um debate após a exibição o filme, que tem entrada franca e acontece no Teatro Universitário Cláudio Barradas.

O Cineclube ETDUFPA é um projeto de extensão da Escola de Teatro e Dança da UFPA coordenado pelo Prof. Ramiro Quaresma com a colaboração dos Professores Paulo de Tarso e Jorge Torres. Realização da Escola de Teatro e Dança, Instituto de Ciências da Arte e UFPA.

FICHA TÉCNICA

Direção, Roteiro, Figurino, Cenografia e Contra-regra: Nando Lima.
Fotografia, Câmera e Edição: Anibal Pacha.
Produção: Oriana Bitar | Sonoplastia: Leo Bitar.
Maquiagem: Uirande Mendonça | Contra-regra: Ronaldo Fayal
Operação de edição: João Freitas, Benedito Barbosa.
Caracteres: Mario Cativo.

Elenco:

Alberto Silva, Betto Paiva, Claudio Melo, Josiane Dias, Oriana Bitar.

Duração: 41 min. 1990. | Filmado em VHS.


Teatro Universitário Cláudio Barradas
Rua Jerônimo Pimentel, 546
(esquina com D. Romualdo de Seixas)
Dia 07 de abril (terça), às 18h
Informações: 91 98239 2476 (Prof. Ramiro Quaresma)
sescboulevard.blogspot.com
sescboulevard@gmail.com.br


Entrada Franca


— ROSA DOS VENTOS | PERIFEÉRICOS —

A trupe dos Perifeéricos, agora sem o vento, seu ator principal, prepara Rosa, uma talentosa mortal, para assumir o papel que ele deixou para trás. Essa tarefa, porém, não será fácil, a moça terá que conquistar a confiança de todos, lidar com rivalidades internas e suportar as absurdas demandas exigidas por seres de um mundo cheio de mistérios perigosos e encantos duvidosos, onde se perde facilmente o limite entre sonho e realidade, liberdade e loucura.

Rosa dos Ventos: Entre Miragens e Mirações” é uma mistura de cinema, teatro, entidades e máscaras, tudo numa mesma peça, levando ao público o universo dos seres feéricos. É uma fantástica experiência que representa nos palcos um fragmento do próprio sonhar.

Ficha Técnica

Direção Teatral: Mateus Moura e Rafael Couto
Direção de Vídeo: Mateus Moura
Direção de Arte: Maurício Franco
Direção Musical: Jimmy Góes
Música: Jimmy Góes e João Urubu
Iluminação: Rodolfo Mendonça
Arte do Cartaz: Mael 

Elenco: 

ROSA – Thainá Cardoso
SATYR – Rafael Couto
ODORIN – Evelyn Loyola
DERMOND – Ícaro Gaya 
ERA – Karimme Silv
TEMPO – Jimmy Góes 

Auditório da Faculdade FIBRA
Av. Gentil Bittencourt 1144
(entre Generalíssimo Deodoro e 14 de Março)
Dia 04 de abril (sábado), a partir das 20h
ingresso R$ 20 (vinte reais) | Estudante: R$ 10
Aluno da FIBRA paga R$ 5,00 (cinco reais)



MÚSICA
MÚSICA

— ENSAIO ABERTO | NATÁLIA MATOS —

A cantora Natália Matos estará se apresentando no Projeto Ensaio Aberto, no Espaço Mestre Laurentino, na Ná Figueredo, dia 02 de abril (quinta-feira), as 19h

Natália Matos é paraense, mas passou oito anos em São Paulo, dividindo-se entre estudos em canto popular na Emesp, arquitetura no Mackenzie e rodas de choro em bares, interpretando Aracy de Almeida, Adoniran Barbosa e cantoras da Era do Rádio. De volta a Belém, integrou o premiado projeto Terruá Pará e começou a preparar o repertório de seu álbum de estreia, lançado em 2014. Com produção de Guilherme Kastrup e participações de Zeca Baleiro, Rodrigo Campos, Kiko Dinucci e Felipe Cordeiro, o disco Natália Matos traz canções inéditas de Dona Onete e Romulo Fróes, unindo a estranheza pop de São Paulo com o suingue irresistível do Pará.

Loja Na Figueredo
(Espaço Mestre Laurentino)
Av Gentil Bittencourt, 449
Quinta, dia 02 de Abril, as 19h
Fone: 91 3224 8948
ensaioaberto@nafigueredo.com.br
nataliamusica.com

• Entrada Franca •



OUTROS •
EVENTOS
• OUTROS

— FUNDAMENTOS DA ILUSTRAÇÃO | OFICINA —
Com: Rodrigo Cantalício | Casa da Linguagem

Oficina Fundamentos da Ilustração
ministrada pelo artista e ilustrador paraense Rodrigo Cantalício.

O artista e ilustrador Rodrigo Cantalício estará ministrando neste mês de março de 2015, na Casa da Linguagem a oficina "Fundamenros da Ilustração". O Objetivo do curso é que cada aluno entenda um pouco mais sobre as bases de uma ilustração e desenvolva a partir disso seu próprio estilo.

Casa da Linguagem
Avenida Nazaré, 33 – Nazaré
(esquina com Assis de Vasconcelos)
Investimento: R$ 20 (vinte reais)
De 12/03 a 01 de abril
(segunda a sexta)
Das 10h30 as 12h30
Inscrições até 11/03 (quinta-feira)
Telefone: 91 3110 2250


— DE OLHOS VENDADOS —

A Associação Fotoativa abre seu calendário de formação de 2015 com a oficina De Olhos Vendados – iniciação à fotografia, ministrada por Miguel Chikaoka. Entre os meses de fevereiro e abril, serão duas turmas em atividade, uma às terças e quintas, e outra aos sábados.

Segundo Miguel Chikaoka, fotógrafo e educador premiado em 2012 com a Ordem do Mérito Cultural pelo Ministério da Cultura, “a proposta da oficina é articular o aprendizado e a prática da fotografia através de experimentos inspirados na leitura da gênese do processo de produção de imagens”. A Luz, matéria prima de seu trabalho poético e pedagógico, é também tema central da atividades da Instituição em 2015, sugerido pela Organização das Nações Unidas, com o Ano Internacional da Luz.
Com carga horária de 48 horas, divididas em dois meses, a oficina de Miguel Chikaoka, uma das mais procuradas no país, integra vivências que envolvem práticas de construção e uso de dispositivos de visualização e captura de imagens, jogos e exercícios sensoriais, expedições e rodas de conversa. O objetivo da oficina é estimular o exercício do pensamento crítico-criativo sobre as possibilidades do fazer fotográfico e seus desdobramentos nas mais diversas áreas do conhecimento.

Miguel Chikaoka é de Registro-SP, vive e trabalha em Belém desde 1980, onde idealizou os projetos de criação da Associação Fotoativa e Agência Kamara Kó Fotografias. Suas obras transitam entre imagens, instalações e objetos de caráter conceitual, pautados na experiência de religação dos sentidos. Participou de diversas exposições individuais e coletivas no Brasil e no exterior. Em 2012, recebeu o Prêmio Brasil de Fotografia e a Comenda da Ordem do Mérito Cultural – MinC por sua contribuição à cultura brasileira.

Turma 1: terças e quintas, 19h30 às 21h30 – 24 de fevereiro a 23 de abril de 2015

Turma 2: sábados, 14h às 18h – 28 de fevereiro a 25 de abril de 2015
Carga Horária: 48 horas


Oficina De Olhos Vendados
Trav. Frutuoso Guimarães, 611
Campina, Belem Do Pará, Para, Brazil
facebook.com/kamarakogaleria/info
Telefone: 91 3261 4809

— BELÉM AOS 80 —
http://youtu.be/7tQAyCFn-Mo

 

No início da década de 1980 havia certa efervescência cultural, fruto de um processo político liberalizante depois dos anos de chumbo que vivemos, e uma grande ansiedade por mudanças. Surgiram iniciativas na área artística que contribuíram para um novo olhar sobre nossas idéias, costumes, valores sociais e morais. Nascia uma grande cumplicidade entre as pessoas e uma participação viva em qualquer evento que trouxesse o adjetivo “arte” em seu script. A inquietação era tanta que movimentou desde grupos alternativos, que romperam paradigmas na forma de apresentar seus trabalhos, até a explosão do talento da criação artística que delineou e legitimou toda a arte contemporânea produzida em nossa cidade posteriormente. Resumidamente, os anos 1980 vão ser lembrados como um marco na vida de todos aqueles que o vivenciaram como criadores ou participantes ativos dessa geração e como herdeiros de uma década que mudou toda uma história de viver e fazer arte em nossa região. "Belém Aos 80" é uma visita a alguns personagens e movimentos que marcaram esses anos na cidade, registrando momentos de exaltação sócio-cultural da época.

• • • FICHA TÉCNICA • • •

  • Direção e Roteiro:
    Alan Kardek Guimaraes

  • Argumento:
    Januario Guedes

    Celso Eluan Lima

  • Fotografia e Câmera:
    Diógenes Carvalho Leal